Familiares de Gustavo Inocêncio Meira Rosário travam uma batalha - dentro e fora da internet - para tentar comprovar sua inocência. Ele é acusado de envolvimento na briga entre uma torcida organizada e policiais. O confronto ocorreu antes de um jogo do Corinthians contra o #Flamengo no dia 23 de outubro. Rosário é natural de Avaré/SP, está preso no Rio de Janeiro.

Mas segundo informações da família, ele não se envolveu no incidente. ‘Ele é inocente’, afirmou Letícia Pereira Oliveira, cunhada do acusado. Ela ainda diz que “em nenhum momento o Gustavo Rosário foi reconhecido por imagem ou por testemunha” e afirma que a família possui todas as provas de sua inocência.

Publicidade
Publicidade

Provas incontestáveis

De acordo com Letícia, a esposa de Gustavo está no Rio de Janeiro acompanhada de um advogado para tentar reverter a prisão, considerada injusta pela família. “Os policiais não mereciam esse confronto. Mas um inocente não merece estar preso, um inocente não merece passar por essa humilhação”, comentou.

Ainda segundo suas informações, câmeras de segurança registraram o confronto, sendo possível verificar que Rosário fica distante da confusão. “Aqui está o vídeo em que localizamos o Gustavo longe da briga e se afastando cada vez mais”. Confira o vídeo postado pela família em 28 de outubro. Para protestar na web, família criou a hashtag #GustavoRosarioÉInocente.

Frames mostram Gustavo longe do confronto

A família também destacou com setas a posição que Gustavo ocupava durante a ocorrência.

Publicidade

Relembre o caso

Cerca de 30 torcedores corintianos estão presos desde o dia 23 de outubro, após se envolverem em um confronto com a Polícia Militar do Rio de Janeiro no Estádio Maracanã. De acordo com informações, meia hora antes da partida entre #Corinthians e Flamengo, pela 32ª Rodada do Campeonato Brasileiro, integrantes da Torcida Uniformizada Camisa 12, tradicional do time paulista, tentaram invadir uma área destinada a torcida da agremiação carioca. A PM compareceu ao local para conter os corintianos, sendo necessário uso da força, como bombas de efeito moral. Após a confusão, tanto policiais quanto torcedores ficaram feridos, além disso, parte do estádio carioca foi depredada. #Esporte