Após o Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) ordenar que o resultado do último Fla-Flu não fosse computado no atual #Campeonato Brasileiro, o Tricolor voltou a ser pivô de críticas tanto nas redes sociais quanto em alguns órgãos de imprensa. No final da tarde desta terça, porém, o presidente do clube das Laranjeiras, Peter Siemsen, resolveu defender a instituição que comanda. Segundo o mandatário, a agremiação está somente lutando elo cumprimento das regras.

"O #Fluminense está apenas seguindo a legislação existente. A legislação não foi escolhida pelo Fluminense, não tivemos qualquer envolvimento. Infelizmente, é a legislação aplicável e a medida cabível para interferência externa.

Publicidade
Publicidade

O Fluminense não poderia ficar inerte", declarou Peter ao programa "Seleção SporTV".

Além da palavra oficial de seu dirigente-maior, o Fluminense publicou uma nota em seu perfil oficial no Facebook, na qual repreendeu o comportamento de alguns jornalistas. No documento, o clube disse que vem sendo acusado de forma injusta de ser o "vilão do futebol brasileiro", citando os Nacionais de 1997, 2000 e 2013.

Todo o imbróglio começou após Henrique, aos 39 minutos do segundo tempo, marcar o que seria o gol do empate do Fluminense no clássico da última quinta, em Volta Redonda, diante do Flamengo. O assistente Emerson Augusto de Machado, de forma correta, assinalou impedimento, mas o árbitro Sandro Meira Ricci, pressionado pelos jogadores da equipe tricolor, confirmou o tento. Nesse momento, os rubro-negros cercaram o trio, gerando um enorme tumulto no gramado.

Publicidade

Em reportagem do Esporte Espetacular, da Rede Globo, do último domingo, foi mostrado algumas declarações tanto por parte de atletas da equipe da Gávea (Rafael Vaz, Jorge e Pará) quanto do delegado do jogo, Sérgio Santos, alertando a Sandro Meira Ricci sobre a TV ter mostrado que Henrique estava em posição irregular. Depois de 13 minutos de paralisação, o árbitro resolveu invalidar o lance, mantendo a vitória flamenguista por 2 a 1.

Alegando que a FIFA não autoriza a interferência externa nas decisões de lances polêmicos, o Fluminense, na última segunda, ingressou no Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD). A expectativa é de uma definição até meados de novembro. #PaixãoPorFutebol