Por mais que pareça evidente, o #Flamengo e seus dirigentes não irão conseguir manchar negativamente a história do #Campeonato Brasileiro de #Futebol. Indiscutivelmente, o torneio de futebol mais equilibrado do mundo, o Brasileirão, não merece que um clube, por maior que seja sua torcida,  fique em evidência, em detrimento da própria competição. Eduardo Bandeira de Mello, presidente do clube, não deve usar sua influência na CBF (alguém esqueceu da Copa América Centenário?) e pressionar os árbitros a decisões tendenciosas. O espetáculo perde. Fica pobre.

Já foi discutido, rediscutido, e discutido mais uma vez o episódio do gol anulado do Fluminense, e ficou provado através de análises de especialistas que o jogador tricolor estava sim em posição irregular.

Publicidade
Publicidade

Mas e a influência externa, que claramente induziu o árbitro Sandro Meira Ricci à marcação, por mais que estivesse correta? A entidade máxima do futebol mundial é a FIFA, e em seu regulamento fica expressamente proibido o uso deste tipo de recurso em favor da arbitragem. Como o STJD vai simplesmente ignorar a determinação e fingir que nada aconteceu?

A gota d'água veio neste fim de semana, no jogo entre Flamengo x Corinthians, no Maracanã, quando, ainda no primeiro tempo, após o Corinthians ter aberto o placar, em cobrança de falta, o atacante Guerrero, completamente impedido, cabeceou a bola para o fundo do gol e o bandeirinha, equivocadamente, o validou. Se fosse num lance de passe em profundidade, ou troca de passes em velocidade, até que o erro seria justificável, mas se o trio não consegue assinalar o impedimento em uma jogada de bola parada, como se habilitam a mediar uma partida de futebol? O pior de tudo é a cara de pau com que o presidente do Flamengo diz que não existe nenhum tipo de ajuda ao rubro-negro neste campeonato, e que tudo não passa de conspirações sem fundamento.

Publicidade

Reveja seus conceitos, senhor presidente.

Este time não pode ser campeão brasileiro passando por cima dos amantes do futebol, das regras do futebol, e, principalmente, dos outros times de forma desonesta. E não será.