A diretoria do Palmeiras sofrerá mudanças em dezembro. Após as eleições, Maurício Galliote será eleito o novo presidente do clube. A oposição decidiu não mandar candidato e, por isso, Galliote assumirá o #Palmeiras sem maiores dificuldades. 

O novo presidente já pensa em um cargo diretivo para o atual mandatário Paulo Nobre. O cargo, no entanto, não terá bandeira branca no #Futebol. Ele mesmo quer comandar as ações do departamento. 

Duas negociações já estão em andamento segundo o Blog do Praetzel, jornalista esportivo. O técnico Cuca já disse que não tem proposta da China e que deseja renovar com o Palmeiras. O acordo seria costurado até 2018.

Publicidade
Publicidade

Alexandre Mattos, executivo de futebol, fez um bom trabalho e também deve permanecer. 

Os assuntos, porém, serão debatidos somente após o término das competições. O Palmeiras disputa o #Campeonato Brasileiro (atual líder da competição com 57 pontos) e está nas quartas de final da Copa do Brasil (perdeu para o Grêmio por 2 a 1 em Porto Alegre no primeiro jogo). 

Ficou bem claro que o objetivo do clube no ano é levantar as duas taças. Após conversar com Nobre, Cuca soube que o alvo serão esses dois títulos. A ideia é terminar a gestão do atual presidente com três conquistas importantes (o Palmeiras foi Campeão da Copa do Brasil em 2015). 

Pacificação política e calmaria

O Palmeiras nunca foi um clube calmo politicamente em toda a sua história. Brigas com oposição e problemas internos sempre foram a marca registrada da famosa 'Alameda do Palestra Itália'.

Publicidade

Mustafá Contursi, que comandou o clube por mais de dez anos, foi alvo de um 'golpe' promovido por Affonso Della Monica. Monica virou presidente com apoio de Contursi e depois cedeu cargos para a oposição, na tentativa de minar as forças do ex-presidente. Não deu certo, a Contursi ganhou ainda mais força nos bastidores. 

Della Monica conseguiu ser Campeão Paulista em 2008, primeiro título depois da Copa dos Campeões de 2000. Ou seja, levantou uma taça com oito anos de 'fila'. Depois Arnaldo Tirone também tinha apoio de Mustafá, mas foi muito criticado por levar o time para a Série B em 2012.