O Mundial Sub-17 foi criado em 1987, pela FIFA, e tem como objetivo dar oportunidade para que jogadores das categorias de base de seleções nacionais possam mostrar seu talento e habilidade. Dentro desse torneio, a entidade máxima do futebol mundial premia, com o troféu Bola de Ouro, o atleta que mais se destacou na competição. O site espanhol spherasports.com apresentou uma matéria relacionando alguns dos vencedores do Bola de Ouro do #Mundial Sub-17 que acabaram não tendo o sucesso que se esperava deles.

LANDON DONOVAN (1999)

Um dos jogadores mais importantes dos EUA. Ingressou na seleção principal norte-americana em 2000, onde jogou 157 partidas, marcando 57 gols até 2014, quando deixou o selecionado nacional.

Publicidade
Publicidade

Donovan, após decidir encerrar a carreira, retornou recentemente para atuar na Liga dos EUA pelo Los Angeles Galaxy.

FLORENT SINAMA-PONGOLLE (2001)

O atacante francês chegou a jogar pelo Liverpool da Inglaterra onde havia muita expectativa pelo seu futebol, mas acabou não correspondendo. Pongolle disputou 57 partidas pelo clube inglês e marcou apenas oito gols. Mais tarde, acabou indo para o Atlético de Madrid numa troca envolvendo o uruguaio Diego Forlan e o argentino Kun Aguero.

CESC FÁBREGAS  (2003)

No Mundial Sub-17 de 2003, marcou cinco gols, embora a Espanha tenha sido derrotada na partida final pela Seleção Brasileira. Revelado pelo técnico Wenger, Fábregas jogou no Barcelona, e, mesmo com boas atuações, não conseguiu brilhar no meio de um elenco com tantas estrelas. No Chelsea, fez uma grande primeira temporada, mas não repetiu o mesmo desempenho na segunda.

Publicidade

ANDERSON (2005)

 Apontado como o sucessor de Ronaldinho Gaúcho, aos 17 anos, em função da sua habilidade com a bola, logo despertou o interesse de grandes clubes europeus, após surgir no Tricolor gaúcho o "Andershow", como era conhecido, estava jogando no Porto de Portugal. Foi seu melhor momento na Europa, tanto que logo se transferiu para o poderoso Manchester United da Inglaterra. Atualmente, Anderson está no Internacional onde é reserva.

TONI KROSS (2007)

O armador alemão pode ser considerado uma daqueles promessas que vingou. Iniciou sua carreira do Bayern de Munique. O talento do armador alemão chamou a atenção de treinadores consagrados como Pepe Guardiola e Ancelotti. Atualmente, Kross é um dos astros do Real Madrid da Espanha.

SANI EMMANUEL (2009)

O nigeriano teve um início de carreira espetacular, tanto que, após o Mundial Sub-17, foi contratado pela Lazio da Itália, onde mostrou seu talento como goleador. Mas, em 2012, começou a viver uma má fase, passando a atuar em clubes menores da Itália e Suíça.

Publicidade

No momento, Sani joga pelo Oskarshamn da segunda divisão da Suécia.

JULIO GÓMES GONZÁLES (2011)

O meio-campista mexicano viveu seu melhor momento na carreira, justamente no Mundial Sub-17 de 2011, quando marcou dois gols contra a Alemanha, sendo o segundo um golaço. Por conta disso Julio Gómes chegou a ser considerado um herói no México e chamado de "menino maravilha". Mas desde então o jogador do Pachuca, que já foi emprestado para vários times mexicanos, segue sem reencontrar o futebol que o consagrou.

KELECHI IHEANACHO (2013)

O atacante nigeriano é outra promessa que acabou dando certo. Atualmente, como reserva de Aguero no Manchester City, Kelechi vem mostrando um ótimo desempenho. Mesmo entrando apenas no decorrer de algumas partidas o jogador da Nigéria, já marcou 20 gols pelo clube inglês, em 50 jogos disputados. É um desempenho interessante para um jogador que acabou de completar 20 anos.

KELECHI NWAKALI (2015) 

O último jogador da lista também é nigeriano e chegou a ser contratado pelo Arsenal da Inglaterra, mas, não conseguindo mostrar um bom futebol, acabou sendo emprestado para o Maastricht, da segunda divisão holandesa. #FIFA #Futebol Internacional