O presidente do #STJD (Superior Tribunal de Justiça Desportiva), Ronaldo Piacente, decidiu na noite desta segunda-feira (17) que irá pedir à CBF que não homologue o resultado da partida entre #Flamengo e Fluminense, realizada na última quinta-feira (13), onde o rubro-negro venceu por 2x1.

Essa decisão implica numa mudança imediata na tabela de classificação do Brasileirão 2016. Piaceto declarou que pretende fazer com que o julgamento da questão ocorra o mais breve possível, em 30 dias no máximo. A partir dessa decisão do STJD, o Flamengo passa a ter 57 pontos na tabela de classificação, segundo colocado no Brasileirão, enquanto que o #Fluminense permanece com 46, na nona colocação.

Publicidade
Publicidade

O Tricolor das Laranjeiras perdeu para o São Paulo na noite dessa segunda-feira (17), por 2x1, pelo Campeonato Brasileiro.

A polêmica que deu origem à ação na Justiça Desportiva ocorreu em função da anulação do gol do zagueiro Henrique, na segunda etapa da partida entre Flamengo e Fluminense, no Estádio Raulino de Oliveira, em Volta Redonda, na última quinta-feira (17).

O árbitro do jogo, Sandro Meira Ricci, num primeiro momento anulou o gol do zagueiro do Fluminense, marcando impedimento, mas alguns segundos após validou o lance para tornar a anulá-lo em seguida. No entanto, esse processo demorou cerca de 13 minutos até que houvesse uma decisão final da arbitragem.

Os representantes do Fluminense entenderam que houve interferência externa, o que é proibido pela FIFA, para que Sandro Meira Ricci sustentasse sua decisão final.

Publicidade

Em contrapartida, o Flamengo argumenta que desde o início do lance o auxiliar já apontava o impedimento do zagueiro, Henrique, descaracterizando o uso de ajuda externa.

Caso o Tribunal decida em favor do Fluminense, os dois clubes do RJ jogarão novamente uma outra partida que será realizada desde o seu início, desconsiderando o placar do último confronto. No Campeonato Brasileiro de 2014 ocorreu uma situação semelhante a essa do Fla-Flu e envolveu Internacional e Palmeiras. Na época, o centroavante Barcos, jogando pelo clube paulista, marcou um gol com a mão que foi anulado pela arbitragem após alguma demora. Os palmeirenses alegaram influência externa e o STJD acatou o pedido do Verdão, mas acabou voltando atrás por entender que não haviam provas que legitimassem essa decisão.