Mais do que a vaga na decisão da #Copa do Brasil, a vitória sobre o Cruzeiro por 2 a 0, nesta quarta-feira (26), no Mineirão, pelo jogo de ida das semifinais, também deixou o #Grêmio perto de quebrar um incômodo tabu diante da Raposa: nunca o time gaúcho eliminou os mineiros em um mata-mata.

A sina tricolor começou lá atrás. Mais precisamente em 1966, ainda pela Taça Brasil de Clubes, quando se encontraram pelas quartas de finais do que na época era considerado o Campeonato Brasileiro. Em Porto Alegre, empate sem gols, enquanto que em Belo Horizonte o time celeste venceu por 2 a 1.

Curiosamente, esses mesmos placares se repetiram 27 anos depois, quando os dois fizeram a fina da Copa do Brasil de 1993.

Publicidade
Publicidade

Empate em gols no Sul e vitória cruzeirense no Mineirão. No jogo decisivo, o #Cruzeiro saiu na frente aos 12 minutos do primeiro tempo com um chute de fora da área de Paulo Roberto, que contou com uma valiosa colaboração do goleiro Eduardo, que falhou feio no lance.

Ainda na primeira etapa, Pingo deixou tudo igual, resultado que dava o título para os gaúchos. Mas logo no primeiro lance da etapa complementar, Claison usou a cabeça para aproveitar cruzamento de Paulo Roberto e anotar o gol que valeu a primeira das quatro taças conquistadas pelos mineiros, que voltariam a ser campeões em 1996, 2000 e 2003.

E foi o título de 1996 da Copa do Brasil que proporcionou o terceiro encontro entre os times em mata-mata, desta vez pela Taça Libertadores da América de 1997. Na primeira fase, uma vitória para cada lado e os dois avançaram em um grupo que também contava com os peruanos Sporting Cristal e Alianza Lima.

Publicidade

Como o regulamento na época não permitia que dois times do mesmo pais se cruzassem nas semifinais e final, gaúchos e mineiros voltaram a se encontrar nas quartas de finais. O primeiro jogo foi no Mineirão, com vitória cruzeirense por 2 a 0. Na volta, o Grêmio venceu por 2 a 1, mas o resultado não foi suficiente e o Tricolor amargou mais uma eliminação para o time azul, que mais tarde viria a ser o campeão daquela Libertadores.

Em 2009, um novo encontro pela Libertadores, agora pelas semifinais (Neste ano já era permitido que dois times de um mesmo país se enfrentassem nesta fase da competição). Vitória mineira por 3 a 1 em BH e empate em 2 a 2 no Olímpico (antigo estádio do Grêmio), em Porto Alegre, levaram a Raposa para a decisão.

Um novo capítulo está marcado para a próxima quarta-feira (2), às 21h45, na Arena do Grêmio. Na outra semifinal, marcada para o mesmo dia e horário, no Independência, em Belo Horizonte, o Atlético Mineiro recebe o Inter com uma boa vantagem, após vencer o jogo de ida por 2 a 1, em pleno Beira Rio.