A seleção de San Marino teve um grande desafio pela quarta rodada das Eliminatórias da Copa de 2018: enfrentar a atual campeã do mundo, a seleção da Alemanha. E como podia se esperar, os alemães fizeram jus ao favoritismo e golearam os são-marinenses por 8 a 0.

Após a partida, o atacante #Thomas Müller deu uma declaração alegando não entender o significado de jogos contra seleções tão fracas como a de San Marino. O camisa 13 da seleção da #Alemanha disse compreender que essas partidas são importantes para essas seleções pequenas por terem um atrativo de jogarem contra a Alemanha, que é campeã do mundo, porém ressaltou que jogadores como ele, de alto nível, possuem agendas bastante ocupadas e por esse motivo, na concepção do atleta, jogar essas partidas menores poderia proporcionar riscos desnecessários de lesão, que segundo Müller, não tem relação alguma com o futebol profissional.

Publicidade
Publicidade

O diretor de comunicação da seleção de San Marino, Alan Gasperoni, se pronunciou após a crítica de Thomas Müller em seu perfil pessoal em uma rede social. Em sua resposta afirmou que a partida pode não ter tido importância nenhuma para ele, que Müller poderia ficar sentado no sofá com sua esposa ou então participando de algum evento com patrocinadores que poderiam lhe render milhões de euros. Gasperoni também debochou de costumes alemães como usar sandálias com meias e citou 10 tópicos para refutar a crítica de Müller, dentre eles:

- Serviu para mostrar que sequer em partidas contra times tão pobres quanto o nosso você consegue marcar um gol - e não diga que você não ficou chateado quando Simoncini parou seu gol.

- Serviu para esclarecer aos seus treinadores (até para Beckenbauer e Rummenigge) que futebol não pertence a eles, mas sim a todos que o amam. Vocês gostando ou não, nós estamos incluídos.

Após a repercussão da #Polêmica, Thomas Müller se defendeu, dizendo que sua declaração foi tirada do contexto pela imprensa.

Publicidade

que sua intenção era questionar o valor da partida destacando o risco de lesões. Essa não foi a primeira vez que o artilheiro alemão se envolveu em polêmicas. A primeira o ocorreu na Copa do Mundo, quando foi perguntado sobre a não-conquista da Chuteira de Ouro da competição. Müller disse não se importar com o troféu e mandou a repórter enfiar a chuteira naquele lugar. O zagueiro brasileiro Dante também afirmou que foi provocado por Müller muitos meses depois do 7 a 1, mesmo depois de ter pedido para o alemão parar.