Após a tragédia que abalou o mundo do futebol no meio da madrugada da última terça-feira (29), quando o avião que levava a delegação da #Chapecoense e alguns jornalistas caiu em uma remota região da Colômbia, a menor preocupação é o resultado da final da Copa Sul-Americana, partida em que o clube brasileiro iria enfrentar os colombianos do Atlético Nacional nesta quarta-feira (30).

Em um gesto que simboliza toda a solidariedade mundial oferecida ao povo de Chapecó, em Santa Catarina, os rivais na final da Sul-Americana soltaram uma nota pedindo a Conmebol que entregasse o título a Chapecoense.

Porém, um fator político/futebolístico pode impedir a homenagem.

Publicidade
Publicidade

Como o Atlético Nacional é o atual campeão da Libertadores, eles já possuem vaga garantida na competição próximo ano. Caso os colombianos fossem também campeões da Sul-Americana, conquistado assim mais uma vez a vaga, o lugar na maior competição do continente seria repassado ao clube colombiano que tivesse a melhor classificação no campeonato nacional e que não conseguisse ficar dentro da zona de classificação para a Copa Libertadores.

Caso decrete que a Chape será considerada a campeã, a Colômbia perderia essa vaga, e os clubes colombianos teriam essa "perda futebolística. #Dentro da política