Após duas ótimas temporadas defendendo a equipe do Avaí, #Vágner foi contratado para a temporada 2016 para ser o reserva de Fernando Prass já que Jaílson ainda não contava com a confiança da diretoria e comissão técnica.

O goleiro de 27 anos esperou quase 8 meses para estrear pelo clube. Com a grave lesão de Fernando Prass , Vágner, assumiu a titularidade do gol palmeirense.  A primeira partida aconteceu pela 16ª rodada do Brasileirão contra o Atlético Mineiro. E a equipe alviverde perdeu a invencibilidade em casa no campeonato. Nesse jogo o arqueiro já se mostrava inseguro

O técnico Cuca manteve o jogador nas duas partidas seguintes contra Botafogo e Chapecoense.

Publicidade
Publicidade

E o saldo foi negativo, derrota para a equipe carioca e empate com gosto amargo no sul.  Vagner falhou em lances capitais como no jogo contra a Chapecoense que tiraram pontos preciosos da equipe.

Para o jogo contra o Vitória na rodada seguinte, Cuca então sacou Vagner e escalou Jaílson que desde então assumiu a meta e não saiu mais. A defesa melhorou e o time embalou.

Até chegarmos a 33ª rodada que reservava um clássico entre Palmeiras e Santos na Vila Belmiro. Jogo decisivo, porém, a equipe alviverde não poderia contar com seu goleiro titular Jaílson, suspenso. Cuca teria então, entre as suas opções para escalar na partida: o jovem goleiro Vinicius Silvestre e o mais experiente, Vagner. 

Pois bem, Cuca preferiu apostar na juventude de Vinicius ao invés da experiência de Vagner. Recado claro de que a comissão técnica não tem confiança no goleiro.

Publicidade

A última partida de Vágner como titular aconteceu pela Copa do Brasil, quando a equipe enfrentou o Botafogo-PB recheada de reservadas no fim de setembro.

E com a recuperação de Prass e a boa temporada de Jaílson que mostrou ser um reserva confiável, parece difícil que Vágner tenha espaço na equipe do #Palmeiras. O melhor caminho deva ser tentar sucesso em outra equipe, como fez, por exemplo, o goleiro Aranha que até o começo do ano estava encostado equipe alviverde e hoje é um dos pilares da Ponte Preta no campeonato brasileiro.