Depois de muitas rodadas oscilando próximo à zona de rebaixamento do Campeonato Brasileiro, o #São Paulo, agora sem toda a pressão contra o descenso, busca reforçar a equipe para a próxima temporada.

Entre as opções formadas em Cotia e as possíveis negociações com o Santos e Palmeiras com a troca de Michel Bastos por Thiago Ribeiro ou Rafael Marques, respectivamente, a diretoria e comissão técnica do São Paulo estudam nomes de forma prioritária para oferecer um time forte a Ricardo Gomes, na próxima temporada.

Para os dirigentes, além de Wellington Nem, contratado na semana passada, ao menos mais três nomes importantes são necessários para recompor um time competitivo, próximo da grandeza do tricampeão mundial.

Publicidade
Publicidade

Os atletas de que o São Paulo necessita devem jogar como volante, centroavante e meia pois é nítida a carência do time nestes três setores.

Entretanto, o caixa do time do Morumbi não está tão abastado a ponto de permitir aos seus cartolas ir ao mercado da bola para realizar grandes contratações, como faz o rival, Palmeiras, que só de sua patrocinadora máster, a Crefisa/FAM, recebe mensalmente cerca de R$ 5,6 milhões.

Dessa forma, pretendendo "segurar as pontas", o clube paulista oferece Bastos, fora dos planos do clube para 2017, como moeda de troca nas negociações que inicia no intuito de reforçar seu elenco.

Quais são as opções?

Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco, já manifestou o desejo de contar com o atacante Nilmar. Mas a vontade do presidente pode ser descartada pois seus pares não acreditam que o jogador, vindo de um histórico recente de lesões seguidas, possa corresponder à necessidade do São Paulo.

Publicidade

Vivendo nos Emirados Árabes Unidos, o ex-atleta do Internacional, e também do Corinthians, não vem sendo utilizado desde maio deste ano pelo Al-Nasr.

No Cruzeiro está Willian, outro que desperta o interesse de contratação pelo São Paulo. Neste caso, o salário do jogador ainda é um entrave para a sua chegada à capital paulista.

Felipe Melo, da Inter de Milão, também é uma escolha que o tricolor tem em mente para repatriar. Porém, para ter o atleta no CCT da Barra Funda, o tricolor paulista precisa convencer Felipe a aceitar ganhar um salário menor do que o que recebe atualmente. No São Paulo, o atleta não receberá mais do que R$ 350 mil.

Na lateral esquerda, outro problema para os cartolas tricolores. Mena, cujos direitos econômicos pertencem ao Cruzeiro, não deve ficar pois o clube não pretende investir alto para a sua permanência.

Nos bastidores, Marco Aurélio Cunha corre em negociações para desenhar um São Paulo dignamente forte, pronto para disputar e vencer os principais torneios de 2017. #Futebol #PaixãoPorFutebol