Depois da decepção, uma boa notícia: no dia seguinte ao empate com o Coritiba que tirou as suas chances de título no #Campeonato Brasileiro, o #Flamengo anunciou sua nova casa para 2017. Enquanto não resolve o longo imbróglio envolvendo o Maracanã, o clube vai poder mandar as suas partidas no Estádio Luso Brasileiro - casa da Portuguesa-RJ, na Ilha do Governador - a partir de 1 de janeiro do ano que vem.

O anúncio foi feito por meio de nota oficial do Rubro-Negro nesta segunda-feira (21) e foi celebrado pelos torcedores e dirigentes do clube. O presidente Eduardo Bandeira de Mello, que tem lembranças especiais do estádio, expressou sua felicidade com o acerto no comunicado feito pelo Flamengo.

Publicidade
Publicidade

"Este foi um movimento muito importante porque garante ao Flamengo um estádio para realizar suas partidas, independente do que vier a acontecer com o Maracanã ou do nosso projeto para ter um estádio próprio de grande porte. Agradeço muito a Portuguesa pela confiança e pela parceria. Tenho certeza de que juntos vamos transformar o estádio em uma importante praça esportiva do Rio de Janeiro. E fico muito feliz pela parceira porque foi lá, na Ilha, em que assisti ao primeiro gol de Doval com a camisa rubro-negra, em 1969" disse.

Um detalhe curioso da negociação é que o Botafogo, que vem tentando acirrar a rivalidade com o Fla desde que o time da Gávea contratou Willian Arão, usou o Luso-Brasileiro em 2016 - chamando-o, inclusive, de Arena Botafogo. Para o ano que vem, porém, o Alvinegro deve voltar a utilizar o Engenhão, e por isso não precisaria mais jogar na Ilha do Governador.

Publicidade

Ainda não há informações de como será a gestão rubro-negra do estádio. Com o Botafogo, o investimento foi para deixar o estádio com 15 mil lugares, o que parece um número pequeno para a torcida do Flamengo em um ano de Libertadores da América. A tendência é de que o clube tente repetir o que foi feito em 2005 com a Petrobras, dando ao Luso-Brasileiro a capacidade de 30 mil espectadores.

Retrospecto no estádio

A história recente do Flamengo como mandante no Luso Brasileiro não é das melhores. Em 2005, o time lutou até o fim do Brasileiro contra o rebaixamento e registrou derrotas para equipes pequenas, como Brasiliense e Juventude, na Ilha, além de um vexatório 6 a 1 para o São Paulo. Naquele ano, foram 17 jogos na Arena Petrobrás, como era chamada, com 7 vitórias, 5 empates e 5 derrotas.

No entanto, o estádio também já foi palco de um feito histórico rubro-negro. O personagem foi Ubirajara Alcântara, que se tornou o primeiro goleiro da história a marcar um gol. Ele chutou a bola de dentro da própria área, mas ela pegou força com o vento (o Luso Brasileiro é apelidado de Estádio dos Ventos Uivantes) e foi parar no gol do rival, Madureira, em 19 de setembro de 1970.

Publicidade

Reforços a caminho

Além do estádio, o Flamengo também busca reforços para a equipe. Marinho, destaque do Vitória no Brasileirão, segundo o Esporte Interativo, já está acertado com o clube. Robinho, ainda sem definição sobre a permanência no Galo, é outro nome que interessa. O alemão Podolski é um sonho distante e Bernard, do Shakhtar, também estaria na mira. #FutebolBrasileiro