Se depender do histórico, o Fluminense tem todos os motivos para encerrar, neste domingo (6), o jejum de cinco partidas sem vencer no #Campeonato Brasileiro. Adversário das 17h (de Brasília), no Mineirão, o Cruzeiro é o chamado "freguês de carteirinha" da equipe das Laranjeiras. Contabilizando todos os torneios desde o primeiro encontro, ambos se enfrentaram em 74 ocasiões, com 33 vitórias do Tricolor e 23 da Raposa. Ainda houve 18 empates.

Para aumentar o otimismo de sua torcida, os cariocas venceram os dois confrontos diante do rival nesse ano. Pela fase de classificação da Copa da Primeira Liga, com três gols de Diego Souza (atualmente no Sport) e um de Gustavo Scarpa, o Flu, mesmo jogando fora de casa, aplicou 4 a 3 sobre o Cruzeiro.

Publicidade
Publicidade

O outro triunfo veio no primeiro turno do Brasileirão. Atuando no Giulite Coutinho, em Édson Passos, região metropolitana do Rio de Janeiro, o Tricolor derrotou os mineiros pelo placar de 2 a 0.

Durante entrevista concedida após o treino de sábado, realizado no CT Pedro Antônio, na Barra da Tijuca, Levir Culpi se mostrou surpreso ao tomar conhecimento desse retrospecto e torce para que ele continue sendo positivo para o #Fluminense. "Obrigado pela força, mas não sei o que vai acontecer. É outro jogo, não acontecerá nada igual, será outro resultado, e tomara que se repita a vitória do Fluminense", declarou o comandante.

Mais do que continuar soberano diante do Cruzeiro, o Fluminense necessita da vitória para continuar firme na briga por um lugar no G-6 do Campeonato Brasileiro e, dessa forma, garantir presença na Taça Libertadores da América do ano que vem.

Publicidade

No momento, ocupa o nono lugar na classificação da Série A, com 48 pontos, três a menos em relação ao Atlético-PR, sexto colocado.

Para deixar Belo Horizonte com os três pontos, o Tricolor, no entanto, não contará com o volante Pierre, suspenso pelo terceiro cartão amarelo. O seu substituto não foi definido, mas a tendência é que Édson ganhe uma oportunidade para formar dupla com Douglas. Existe, ainda, a possibilidade de Cícero ser recuado e o time venha com um trio ofensivo formado por Wellington, Richarlison e Marcos Júnior. #PaixãoPorFutebol