Um piloto que sobrevoava nas proximidades do avião da Chapecoense que caiu, matando 71 pessoas na última terça-feira, relata ter ouvido a conversa entre a tripulação do voo.

A empresa confirmou a veracidade do áudio da gravação, no qual ele narra a solicitação de prioridade para pouso no Aeroporto de Rio Negro, por estar enfrentando problemas com combustível.

"Solicitamos prioridade para pousar, solicitamos prioridade para pousar, temos problemas de combustível".

A controladoria negou o pedido de prioridade em função de outro voo estar se aproximando, um da empresa VivaColômbia. Quando teve o pedido negado, o comandante do voo da Chapecoense decretou situação de emergência.

Publicidade
Publicidade

“Temos um problema. Temos um avião aterrissando de emergência nesse momento. Não pode pousar agora” - respondeu a controladora.

Após a controladora de voo indicar que o piloto da Avianca pousasse na pista 1, a tripulação do voo da #Chapecoense decretou outra situação de emergência, mas desta vez como pane elétrica.

“Estamos com uma grande falha elétrica, temos uma grande falha elétrica”. Ajude-nos a achar pousar.

Ouça o áudio

Esse foi o último momento que a torre teve contato com a tripulação do voo. Após o pouso da Avianca, a controladora ainda tentou por vários minutos obter contato com o avião da Lamia, mas sem sucesso.

Foram confirmadas 71 mortes e 6 sobreviventes, alguns ainda em estado crítico. O time da Chapecoense iria disputar nesta quarta-feira (30) o primeiro jogo da final da copa Sul-Americana, contra do time do Atlético Nacional, em Medellín.

Publicidade

Esta é considerado a maior #Tragédia já registrada envolvendo atletas de #Futebol. O presidente do Brasil, Michel Temer, decretou luto oficial de 3 dias em todo o país.

O prefeito de Chapecó anunciou luto oficial de 30 dias e cancelou todas as festividades de final de ano na cidade.

Jogadores e clubes do mundo inteiro prestaram homenagem durante todo o dia de ontem, aos envolvidos nesse trágico acidente. Alguns clubes disponibilizaram jogadores, sem custos, para que o clube de Chapecó possa se reerguer para 2017.