Os ares do #Palmeiras estão bem verdes. Paulo Nobre, presidente do clube, deixará a presidência no final do mês e já deixou tudo encaminhado. Maurício Galiotte, novo mandatário, terá um caminho bem mais fácil do que o atual gestor.

Quando assumiu o clube em 2013, Nobre pegou o time na segunda divisão e as finanças totalmente despedaçadas. O primeiro biênio foi um verdadeiro desastre e quase resultou em um novo rebaixamento.

2015 foi um ano diferente. Com a chegada de Alexandre Mattos e com mais dinheiro em caixa, foi possível contratar mais e melhor. Além disso o Allianz Parque começou a produzir grandes rendas, permitindo assim uma melhor colheita do que foi plantado.

Publicidade
Publicidade

Logo no primeiro campeonato do ano, final contra o Santos no Campeonato Paulista. A derrota nos pênaltis não abateu o elenco, que entendeu a primeira disputa como resultado positivo. Em dezembro a coroação: o Verdão teve uma reedição da final, porém desta vez pela Copa do Brasil. Após perder na Vila Belmiro por 1 a 0, o Alviverde venceu o Santos nos pênaltis em casa e garantiu a taça.

Neste ano, o Verdão caiu na semi-final do Paulista e foi eliminado nas quartas da Copa do Brasil. Além disso não conseguiu se classificar para a segunda fase da Copa Libertadores. O ano ficou marcado também pelas brigas entre Palmeiras e WTorre, construtora do Allianz Parque.

Mais dinheiro

A Crefisa, atual patrocinadora master do Palmeiras, já confirmou que vai pagar mais pelo contrato em 2016. Atualmente a empresa desembolsa R$ 5 milhões mensais para estampar o uniforme inteiro.

Publicidade

A ideia de Leila Pereira, atual presidente da empresa, é acrescentar mais R$ 3 milhões mensais, somando assim quase R$ 90 milhões anuais.

Uma parte do dinheiro ainda é repassada para Paulo Nobre, que no passado desembolsou mais de R$ 120 milhões para ajudar o clube a se reerguer. Empréstimos bancários foram adquiridos com juros menores por conta do nome do atual presidente no mercado financeiro. Nobre tem ações do banco Itaú em seu nome, o que também favoreceu. #Mercado da bola #Futebol