A novela entre Palmeiras, WTorre e Allianz Parque ganhou mais um capítulo neste domingo, 13 de novembro. Em entrevista à Rádio Jovem Pan, o atual presidente do Verdão admitiu a possibilidade de compra do Allianz Parque, desde que a parceira decida vender a arena.

“Eu queria ter o tamanho que as pessoas acham que eu tenho, que com certeza já teria comprado o estádio. Não tenho condições. É claro que a compra deve passar pela parceira, que é detentora dos direitos de superfície pelos próximos 28 anos”, afirmou Nobre.

Porém, o dirigente não fechou as portas para a possibilidade: “Se eles realmente se propuserem a vender, eu posso tentar viabilizar com amigos do mercado financeiro criar alguma operação para tentar viabilizar a compra.

Publicidade
Publicidade

O palmeirense é tão engajado, que se for para fazer alguma coisa, eu não duvido que o número chegaria a centenas de milhares de torcedores que contribuiriam para que a arena voltasse a ser do #Palmeiras. Mas, até hoje a sério mesmo eu nunca vi a parceria se manifestar que quer se desfazer do investimento e isto não passa de especulação”.

Durante a entrevista, especulou-se que o valor seria de R$ 600 milhões , valor que o próprio Paulo Nobre não confirmou. O dirigente ainda levantou a hipótese de que se houver o desejo de venda, deve-se aparecer outros pretendentes, devido ao tamanho do negócio.

Relação delicada

Não é de hoje que a relação entre o Palmeiras e a Wtorre, responsável pela construção e a administração da Allianz Arena, está azeda. Há vários momentos em que as partes se estranharam seriamente.

Publicidade

O primeiro surgiu a partir da inauguração da Arena no final de 2014, quando as partes interessadas entraram em conflito em relação à comercialização de ingressos, questão que só foi definida recentemente. Há ainda controvérsia na transferência de valores definidos em contrato da administradora ao clube e vice-versa, que não estariam sendo realizados, sem contar as pequenas picuinhas, como a instalação de uma câmera para controle do camarote da diretoria do Palmeiras, que em contrapartida, tampou a lente desta câmara.

Shows e gramado

Outra briga antiga é em relação ao uso constante do estádio para a realização de grandes shows e eventos, impedindo que o time alviverde atue em casa em alguns momentos importantes dos campeonatos que disputa.

A situação fica ainda mais delicada quando com a realização destes grandes shows, o gramado do campo de jogo acaba ficando em condições muito ruins. Apesar da Wtorre negar, muitos acreditam no Palmeiras que a administradora tem economizado na manutenção do gramado, como uma forma de boicotar a diretoria e o próprio Paulo Nobre.

A situação do campo de jogo é tão delicada que muitos conselheiros do Verdão defendem a implantação de gramado sintético. #verdao #AllianzParque