Lisca, novo técnico do Internacional, tem, ao mesmo tempo, a maior oportunidade e o maior barco furado da carreira ao assumir o #Colorado na luta contra o rebaixamento faltando apenas três partidas.

Se conseguir o objetivo, é bastante possível que continue no comando do time gaúcho. Porém, se for rebaixado, Lisca estará intimamente ligado ao fracasso.

Sua contratação surpreendeu a muitos, já que ele não é considerado um técnico de ponta do futebol brasileiro. Mas, afinal, quem é Lisca?

Seu nome é Luiz Carlos Lima de Lorenzi e tem 44 anos. Sua ligação com o Internacional é familiar, já que seu bisavô (Carlos de Lorenzi) e seu avô (Jorge de Lorenzi) foram goleiros do clube.

Publicidade
Publicidade

Iniciou a carreira de treinador em 1990, trabalhando nas escolinhas do Colorado. Acumulou 17 anos de experiência ao dirigir as categorias de base do próprio Inter, Grêmio, São Paulo e Fluminense. A sua primeira experiência como técnico de um time profissional foi em 2001, quando assumiu o Ulbra-RS no Campeonato Gaúcho.

Lisca dirigiu o time B do Internacional, equipe que representou o clube no início do Gaúchão de 2007, pois o time principal teve as férias esticadas por ter disputado e vencido o Campeonato Mundial de 2006. Só que as três derrotas consecutivas o derrubaram rapidamente. A partir de então Lisca passou a dedicar-se a treinar times profissionais, tendo dirigido equipes como Brasil de Pelotas-RS, Juventude, Luverdense, Cxias, Novo Hamburgo, Sampaio Corrêa, entre outros, Destacou nacionalmente ao dirigir o Náutico e o Ceará.

Publicidade

Apesar de seu tom de montar equipes organizadas, Lisca ganhou projeção principalmente pelo seu temperamento explosivo e suas loucuras. Ganhou o apelido de Lisca Doido por várias razões, como a vez que subiu no alambrado e comemorou sem camisa junto com a torcida do Náutico uma vitória sobre o Santa Cruz, ou provocou um adversário desafeto antigo com dancinha ou usar as redes sociais para agitar.

Em campo, o técnico mostrou que é capaz de fazer excelentes trabalhos, como livrar o Ceará do rebaixamento para a Série C em 2015. Quando chegou ao Ceará, o Vovô estava 12 pontoa atrás do primeiro time fora do Z-4. Com um aproveitamento de 70%, manteve o alvinegro cearense na Série B e foi idolatrado pela torcida. Recentemente treinou o Joinville na Série B por três meses, sendo demitido após 12 jogos em que venceu três, empatou quatro e perdeu cinco. #SCInternacional #LiscaDoido