O #Internacional perdeu para o #Corinthians e está muito perto do #Rebaixamento para a segunda divisão nacional, pela primeira vez em sua história.

O Colorado, sob o comando de Argel e mesmo com um elenco sem grandes nomes, começou bem o campeonato e chegou a liderar por várias rodadas. Mas a realidade foi chegando e o nível do futebol foi caindo drasticamente, e Argel foi demitido.

Argel estava longe de ser o culpado, afinal, estava fazendo milagre com o elenco que tinha e ainda conseguiu ficar entre os primeiros lugares.

Com a demissão dele, o Inter apostou errado no fraquíssimo Falcão. Gênio com as bolas nos pés, mas só tem trabalhos pífios como treinador.

Publicidade
Publicidade

O time não evoluiu nada, continuou perdendo e Falcão foi demitido depois de pouquíssimos tempo de trabalho. Cerca de um mês.

Depois de errar com Falcão, o Inter errou de novo e jogou as fichas de melhora em Celso Roth. Outro grave equívoco. Apesar de ter um histórico de bom trabalho no Inter, em 2010, Roth estava muito longe de ser a solução para tentar salvar o clube do vexame histórico do rebaixamento.

O clube contratou Nico Lopez, atacante sensação da última Libertadores, mas foi pouco usado. Tem o promissor Valdivia que também ficou mais no banco do que em campo. Roth preferia apostar nos experientes Anderson, Alex entre outros, e a coisa não andou.

Justiça seja feita que, ao menos na Copa do Brasil, os gaúchos tiveram uma atuação digna da história do clube e foi eliminado, mas caiu de cabeça erguida.

Publicidade

Deu muito trabalho para o Atlético-Mg chegar à final. Mas nunca teve uma atuação parecida pelo Brasileirão.

O empate contra a Ponte Preta, no último meio de semana, e Roth pegou o mesmo caminho de Argel e Falcão: a demissão há três rodadas do fim.

Quando todos pensavam que o Inter traria um nome respeitado e de peso para salvar do iminente rebaixamento, o Inter erra de novo e aposta no desconhecido e sem experiência em primeira divisão: Lisca foi o nome escolhido. Parece piada, mas não é. Apostar em Lisca num momento desse é, no mínimo, estranho.

O resultado? O Inter apresentou os mesmo problemas contra o Corinthians, não jogou absolutamente nada, saiu derrotado e praticamente rebaixado. Tudo bem que o pênalti anotado para o Corinthians não aconteceu, mas não foi por isso que saíram derrotados e, muito menos, que pode ser rebaixado. A situação é bem séria.

A ironia é que o clube disputa o rebaixamento contra o Vitória de Argel, que começou o ano como técnico dos gaúchos.

Todo esse roteiro foi feito pelos grandes clubes que já tiveram o desprazer de jogar a série B do Brasileiro.

Parece que chegou a vez do Internacional.