Em jogo de recuperação, o #Santos venceu a Ponte Preta por 2 a 1 no estádio Moisés Lucarelli, nesta manhã, de virada. Após os protestos do clube devido à mudança da partida - que seria realizada na noite de sábado - os jogadores entraram com a inscrição "Faltou Respeito" nas costas de suas camisas, uma clara crítica à decisão da CBF (Confederação Brasileira de Futebol). Após a vitória, o time da Vila Belmiro chegou aos 64 pontos, a três do líder Palmeiras, e está vivo na briga pelo título do #Brasileirão.

Os comandados do técnico Dorival Júnior começaram melhor, atacando o time da Macaca que explorava os contra-ataques. Num deles, aos 19 do primeiro tempo, o jogador pontepretano Rhayner fez um lançamento para Wendell que ganhou na corrida de David Braz que cometeu pênalti no atacante, bem na frente do goleiro Vanderlei.

Publicidade
Publicidade

O atacante Potker bateu e converteu. Ponte 1 a 0. O gol foi sentido pelos santistas, o que animou o time adversário que chegou perto de fazer o segundo. Essa foi a tônica do jogo até o fim da etapa inicial.

Na volta do intervalo, Dorival Júnior trocou o zagueiro argentino Fabian Noguera pelo volante Yuri, improvisado na zaga. A mudança deu consistência à defesa, pois o técnico queria liberar o volante quando a equipe fosse atacar. Os santistas entraram no mesmo ritmo do primeiro tempo: a equipe seguia apática, sem possibilidade de reação. Percebendo isso, Dorival promoveu a entrada do meia Léo Cittadini no lugar de Vítor Bueno, que não rendia. A troca mudou a história do jogo. Na primeira jogada do Cittadini, ele chutou cara a cara com o goleiro Aranha, que largou bem à frente do artilheiro Ricardo Oliveira que não desperdiçou.

Publicidade

Ponte 1 x  1 Santos, aos 20 minutos do segundo tempo.

O gol do empate animou os santistas que passaram a atacar com mais facilidade e a ter três boas chances de gol, duas com #copete. Na primeira, o colombiano fez boa jogada na área, se livrou da marcação e finalizou. No rebote, a bola sobra para Jean Motta, mas o meia foi travado pela defesa. No lance seguinte, Copete cabeceou no travessão, a bola voltou pro colombiano que finalizou com grande defesa de Aranha que soltou a bola nos pés de David Braz. O zagueiro escorregou e não concluiu, facilitando o trabalho da defesa. 

Aos 30 minutos, o árbitro promoveu a parada técnica que poderia ter "esfriado" os jogadores do Santos, facilitando as coisas para a Macaca. Não foi o que aconteceu. O time da Vila Belmiro continuou dominando a partida com muitas chances até desempatar. Aos 43, Leo Cittadini tocou para Copete, sozinho, na grande área que empurrou para o fundo das redes. Ponte 1 x 2 Santos, de virada e a equipe praiana segue viva na disputa do título nacional.