Um dos grandes atrativos das Copas do Mundo é a presença dos gigantes do cenário mundial. Quem não fica na expectativa de presenciar um confronto entre Brasil e Alemanha, Itália e Argentina ou Inglaterra e França? Além dos clássicos, a presença de seleções emergentes também dá um tempero especial à competição. Toda edição tem uma seleção surpreendente, que com seu futebol envolvente torna-se a “queridinha” dos torcedores.

Só que, antes de chegar à Copa, tem a batalha das #Eliminatórias, que sempre sacrifica seleções tradicionais. E nas Eliminatórias para a edição da Copa que acontecerá na Rússia, em 2018, não está sendo diferente.

Publicidade
Publicidade

América do Sul

A Argentina era até, a última rodada, a grande decepção do torneio. A vitória na última partida colocou os “Hermanos’ na quinta colocação geral, e, neste momento, disputariam a repescagem contra o representante da Oceania.

A Colômbia é outra equipe tradicional que corre riscos de não ir à Rússia, pois, atualmente, ocupa a sexta colocação.

América do Norte, Central e Caribe

Até agora, a decepção é os Estados Unidos, o último colocado do Hexagonal Final com duas derrotas em duas partidas. A situação é tão crítica, que o técnico Klinsmann foi demitido.

Europa

Inegavelmente, as Eliminatórias mais difíceis, devido ao grande número de concorrentes. Apenas os campeões dos nove grupos estarão classificados direto para a Copa. Outras quatro vagas serão oferecidas na repescagem e disputadas pelos oito melhores colocados dos grupos.

Publicidade

Estariam fora da Copa da Rússia seleções como Suécia, Bulgária, Hungria, República Tcheca, Bósnia, Áustria, Dinamarca, Romênia e Turquia. Islândia e País de Gales, que brilharam na Eurocopa de 2016, também assistiriam neste momento a Copa pela televisão.

Já a Itália e a Espanha deram azar no sorteio e caíram no mesmo grupo. Na teoria, uma destas seleções irá para a repescagem, correndo sério risco de desclassificação.

África

Dos cinco representantes africanos que estiveram na Copa de 2014, no Brasil, três não disputariam a edição russa. São eles: o tradicional Camarões, a forte Gana e a Argélia. Tunísia, Marrocos, África do Sul e Senegal, equipes que já contam com Copas do Mundo no seu currículo, também estão fortemente ameaçadas.

Ásia

O problema das Eliminatórias Asiáticas foi a criação do “grupo da morte”, em que reuniu a Arábia Saudita, Japão e Austrália, três das principais seleções do continente. Como apenas as duas seleções de cada um dos dois grupos se classifica, hoje a Austrália, que está na quarta colocação, estaria fora inclusive da repescagem. #FutebolMundial #CopadoMundo2018