É público e notório que as empresas fabricantes de cerveja são umas das maiores patrocinadoras dos principais eventos esportivos ao redor do mundo, principalmente no que diz respeito ao futebol. Os torcedores de clubes e seleções são os responsáveis por um consumo absurdo de bebidas alcoólicas durante a realização de jogos de futebol. Esse consumo exagerado gerou, inclusive, algumas medidas no Brasil quando as autoridades ligadas à segurança pública constataram que a violência nos estádios de futebol tinha relação direta com a ingestão de álcool pelos agressores. Em função disso, foi criada uma lei proibindo a comercialização de bebidas alcoólicas dento dos estádios.

Publicidade
Publicidade

No entanto, essa medida acabou sendo flexibilizada durante a realização da Copa do Mundo de 2014, no Brasil, porque as empresas fabricantes de cerveja representam um significativo aumento no fluxo de caixa da #FIFA em termos de patrocínios e apoios para campanhas da entidade máxima do futebol mundial. Para não perder seus parceiros, a FIFA praticamente exigiu que o governo brasileiro, que também não queria perder os milhões de reais que a Copa do Mundo representaria, flexibilizasse a lei, o que acabou acontecendo durante o evento.

Porém, para o mundial de futebol de 2022, que será realizado no Catar, as coisas parecem que não serão tão fáceis assim. Recentemente, Hasan al Zawadi, secretário-geral do Catar para Assuntos do Mundial, declarou que, categoricamente, que no seu país a comercialização de bebidas de álcool não será permitida porque é contrária às leis nacionais.

Publicidade

Sem querer criar uma polêmica antecipadamente, a secretária-geral da FIFA afirmou que Hasan emitiu uma opinião pessoal, mas que a entidade máxima do futebol ainda não decidiu se irá comercializar ou não bebida alcoólica durante a Copa do Mundo de 2022.

Enquanto a questão ainda está sendo analisada pelas autoridades os torcedores escoceses, conhecidos como grandes consumidores de bebidas de álcool, já decidiram que não irão à Copa do Mundo no Catar se não puderem comemorar os êxitos da sua seleção consumindo muita bebida alcoólica. Se mantiverem essa proibição, eles preferem, inclusive, que o selecionado escocês não se classifique para o Mundial de 2022, no Catar. Na verdade, o consumo de bebidas alcoólicas é proibido apenas para os habitantes locais. Os estrangeiros podem consumi-la em praças públicas, desde que possuam uma licença do governo do Catar para isso. #Copa do Mundo de 2022 #Resenha Esportiva