Foram seis pessoas que sobreviveram à queda do avião que transportava, entre muitos outros passageiros, o time inteiro da Chapecoense, em Medellín, na #Colômbia. Nesta terça (29), quando ainda era de madrugada aqui no Brasil, a tragédia aconteceu e deixou não só os parentes das vítimas, mas também o país inteiro muito abalado.

Um desses sobreviventes foi a comissária de bordo, Ximena Suárez, que chegou a relatar ao governador da Antioquia, Luís Pérez, e à TV Caracol da Colômbia, como foram os últimos minutos que antecederam a queda da aeronave. Pelo que contou, alguns segundos antes do impacto do avião no chão, as luzes começaram a se apagar, e depois disso ela não se lembra de mais nada do que aconteceu.

Publicidade
Publicidade

O governador ainda enfatizou bem que, por enquanto, é um dos únicos testemunhos que eles possuem de sobreviventes e que não podem mudar os fatos para que as investigações não sejam atrapalhadas.

Ainda na terça (29), foram achadas as caixas pretas do avião e as autoridades da Colômbia devem averiguar melhor o que pode ter causado o #Acidente.

“Coloquei as malas entre as minhas pernas para formar posição fetal”, disse o outro sobrevivente, um dos tripulantes do voo, o boliviano Erwin Tumiri, que garante que só se salvou por que seguiu o protocolo para casos como esses. As declarações dele foram registradas pelo jornal Lá Razón Digital, da Bolívia.

Ao ser transferido de hospital, Tumiri contou como se protegeu da queda e, segundo ele, quando viu que algo estava errado, percebeu muitas pessoas subindo nos bancos e gritando, mas ele só pensou em fazer o que sempre aconselham nesses casos, e logo se protegeu.

Publicidade

Ele e Ximena já estão fora de perigo e a salvo.

Entre os bolivianos que morreram, estavam três pilotos, Miguel Quiroga, Ovar Goitia e Sisy Arias, e outros tripulantes assistentes de Rommel Vacaflores, Gustavo Emcinas, Alex Quispe e Angel Lugo.

Entre os sobreviventes do acidente, também estão os jogadores Alan Ruschel (lateral), Jackson Follman (goleiro) e Hélio Neto (zagueiro). O goleiro Danilo também chegou a ser resgatado, mas não resistiu aos ferimentos e faleceu.

Além dos jogadores, o jornalista brasileiro Rafael Henzel também sobreviveu e está assim, como os outros, hospitalizado e em sua maioria em estado grave. #Chapecoense