A presença de times do México na Copa Libertadores da América do ano que vem continua incerta, apesar da Comebol (Confederação Sul-Americana de #Futebol) negar. De acordo com o jornal mexicano Record, as negociações entre a Liga MX e a Comebol não progrediram e é cada vez maior a possibilidade da desistência dos representantes do país da América do Norte. O problema surgiu depois que a confederação sul-americana anunciou drásticas mudanças no calendário de 2017, aumentando o tempo de disputa da #Libertadores de janeiro a dezembro. O torneio era realizado normalmente do final de janeiro/começo de fevereiro, até, no máximo, início de agosto.

Com a disputa ocupando o ano inteiro, foi criada incompatibilidade com a Liga dos Campeões da Concacaf.

Publicidade
Publicidade

O presidente da Liga MX deixou claro que não há a menor possibilidade de mudança do calendário local para acomodar as mudanças.

"Nosso calendário está aprovado pela assembleia e não mudará. Ele está aprovado desde o início da temporada. Como todos os anos, a assembleia é que decide. Estamos trabalhando com dias aprovados, e a partir disso se falará", afirmou Enrique Bonilla, que promete lutar até o fim por um acordo bom para todas as partes envolvidas.

Lembrando que os times do México participam da Libertadores sob a condição de convidados, por serem associados à Concacaf (Confederação de Futebol da América do Norte, Central e Caribe), desde 2005. Assim, os mexicanos não podem se classificar para o Mundial da Fifa via Libertadores. A principal motivação para a presença mexicana é financeira, graças ao forte poder econômico dos grupos que controlam as equipes daquele país.

Publicidade

A proximidade do México em relação aos Estados Unidos também é utilizada como estratégia da Conmebol para no futuro entrar no mercado norte-americano. Já para as equipes, a premiação é atrativa, além do intercâmbio com times da América do Sul.

Três vagas abertas

O jornal ressalta que em poucos dias a decisão de desistência deverá ser anunciada, liberando as três vagas que o México tem direito. A Conmebol não se manifestou.

  #Futebol Americano