Todo ano é a mesma ladainha: nas rodadas finais de cada #Brasileirão são apresentadas as estatísticas de quantos técnicos caíram durante o torneio. Em 2015 o recorde foi batido, já que houve 32 trocas, superando as 31 mudanças de 2010. No ano passado, apenas o Corinthians com Tite não trocou o comando.

Este ano parece que as coisas foram um pouco mais calmas, já que no total aconteceram “apenas” 27 trocas. Outro ponto positivo é que quatro clubes (Palmeiras, Santos, Atlético-PR e Ponte Preta) mantiveram seus comandantes até aqui.

Ricardo Gomes foi o último

O caso do treinador do São Paulo é bastante curioso. Há cerca de uma semana, o presidente tricolor, Carlos Augusto Barros e Silva, o Leco, garantiu que Ricardo Gomes seria o comandante da equipe na temporada de 2017.

Publicidade
Publicidade

Gomes estreou pelo Tricolor, vindo do Botafogo, na 20ª rodada do Brasileirão, substituindo Edgardo Bauza, que deixou o clube paulista para assumir a seleção argentina.

Os números de Ricardo Gomes no São Paulo não empolgaram. Em 18 jogos, venceu seis, empatou cinco e perdeu sete, porém a sua demissão não era esperada. No início da tarde desta quarta-feira, 23 de novembro, Marco Aurélio Cunha, diretor executivo de futebol do clube, anunciou a demissão. O assistente técnico Pintado assume o comando e completa a participação são-paulina no Brasileirão.

Ranking de clubes

3 trocas

Corinthians

(Tite, Cristóvão Borges, Fábio Carille e Oswaldo de Oliveira)

Figueirense

(Vinícius Eutrópio, Argel Fucks, Tuca Guimarães e Marquinhos Santos)

Inter

(Argel Fucks, Falcão, Celso Roth e Lisca)

2 trocas

Santa Cruz

(Milton Mendes, Doriva e Adriano Teixeira)

América-MG

(Givanildo Oliveira, Sérgio Vieira e Enderson Moreira)

Coritiba

(Gílson Kleina, Pachequinho e Paulo César Carpegiani)

Cruzeiro

(Geraldo Dellamore, Paulo Bento e Mano Menezes)

São Paulo

(Edgardo Bauza, Ricardo Gomes e Pintado)

1 troca

Atlético-MG

(Diego Aguirre e Marcelo Oliveira)

Botafogo

(Ricardo Gomes e Jair Ventura)

Chapecoense

(Guto Ferreira e Caio Júnior)

Flamengo

(Muricy Ramalho e Zé Ricardo)

Fluminense

(Levir Culpi e Marcão)

Grêmio

(Roger e Renato Gaúcho)

Sport

(Oswaldo de Oliveira e Daniel Paulista)

Vitória

(Vágner Mancini e Argel)

0 troca

Atlético-PR

(Paulo Autuori)

Palmeiras

(Cuca)

Ponte Preta

(Eduardo Baptista)

Santos

(Dorival Junior) #FutebolBrasileiro #SérieA