A força e determinação para defender o gol da #Chapecoense não surgiu ao acaso. Danilo Padilha teve um bom exemplo em casa: sua mãe, dona Alaíde Padilha. Sofrendo pela morte precoce do seu filho, ela ainda teve forças para dar um abraço apertado no repórter Guido Nunes, que não segurou as lágrimas após ouvir uma pergunta.

Como tudo aconteceu

Guido entrevistava dona Alaíde na Arena Condá, ocasião em que ela falava da dor de perder o filho e de ser vítima de notícias falsas na internet no dia do acidente, só obtendo a confirmação da morte de Danilo, após as 15h. Ela também disse que a sua força tem sido os torcedores da Chapecoense, que estão sofrendo com o acidente e ela tem se sentido um pouco mãe de cada um deles.

Publicidade
Publicidade

No final da entrevista, Alaíde diz para Guido: “Posso te fazer uma pergunta?” e o repórter responde que sim. Alaíde então questiona como que ele estava se sentindo com a morte dos colegas de imprensa. Morreram 21 jornalistas no acidente.

Guido não segurou as lágrimas e recebeu um abraço apertado de dona Alaíde, que mesmo em meio ao maior luto que uma mãe pode viver, conseguiu consolar Guido e dizer que foram os jornalistas que fizeram a carreira de Danilo e todos os jogadores. O repórter não aguentou e chorou muito com o comportamento humano e guerreiro da mãe daquele, que foi a muralha da Chapecoense.

De Chapecó para o mundo

Mesmo sem disputar o torneio continental, a equipe da Chapecoense conquistou, não só a América do Sul, mas o mundo. A FIFA determinou que nos jogos dos campeonatos da Europa, desse fim de semana, seja feito um minuto de silêncio pelas vítimas do acidente.

Publicidade

No velório coletivo na Arena Condá, mil jornalistas foram credenciados, incluindo repórteres da Espanha, Arábia Saudita, Argentina, França, Colômbia, entre outros.

O Atlético Nacional decidiu jogar com a camiseta da Chapecoense no jogo desse fim de semana, pelo campeonato colombiano. Se a última rodada do Brasileirão acontecer, dia 11 de dezembro, a maior parte dos clubes já informaram que querem homenagear os jogadores. Atletas do vôlei de praia também decidiram usar a camisa da equipe catarinense em uma homenagem póstuma.

Jogadores do Liverpool e Leeds United, pararam uma partida que disputaram pelo campeonato inglês, para fazer um minuto de silêncio. As torcidas do Liverpool e de times franceses fizeram bonitas homenagens, cantando em coro “Vamos, vamos, Chape” e apresentando faixas e cartazes. #ForçaChape #Resenha Esportiva