Nunca a Lei de Talião fez tanto sentido nos dias atuais. Por mais incrível que pareça, essa ‘#Justiçaaconteceu no mundo esportivo, que leva inclusão, paixão e respeito aos quatro cantos do mundo. Mas o esporte em si, não fere ninguém, são algumas pessoas que são tudo, menos torcedores, que cometem faltas dignas de cartão vermelho.

Os protagonistas dessa sentença excepcional, são alguns torcedores do Fluminense: Bruno Vargas da Costa e Antonio Neto, fuzileiro naval. Bruno, que foi filmado pelo amigo hostilizando dois torcedores do Inter, dentro de um vagão de trem e que, além de constranger, quase agrediu um idoso usando uma camiseta do colorado, viu o bumerangue da vida mostrar do que é capaz.

Publicidade
Publicidade

Poucas horas após expor a sua conduta de valentão na internet, os seus dados pessoais foram divulgados nas redes sociais, como telefones e endereço. Bruno sentiu medo das ameaças recebidas e fez uma publicação pedindo desculpas para quem se sentiu ofendido, mas ressaltou que o que fez foi uma “gozação normal”. Minutos depois, seu perfil no Facebook foi excluído, eventos para hostilizá-lo foram criados, o assunto se tornou um dos mais falados das redes sociais, o vídeo começou a ser exibido em programas esportivos e Bruno, o valentão, logo se tornou o torcedor mais conhecido e detestado do Brasil.

Sua conduta foi repudiada por jornalistas, atletas, torcedores de todos os clubes e até mesmo pelo Fluminense, seu time do coração. Nessa terça-feira, 13, ele e seu amigo fuzileiro, Antonio Neto, foram denunciados pelo Ministério Público do Rio de Janeiro e, além de multa, podem cumprir até 3 anos de detenção.

Publicidade

Além disso, o jornalista esportivo, Juca Kfouri, disse, nessa quarta-feira, 14, que Bruno Vargas perdeu o emprego após a repercussão de seu comportamento antidesportivo. Já José, o torcedor idoso que foi hostilizado por Bruno e seus amigos, disse que deve tomar medidas judiciais contra o mesmo. Pela internet, blogueiros esportivos chegaram a dizer que o Inter também pretendia denunciar os torcedores a fim de evitar que eles possam comparecer a estádios novamente, mas, até o momento, não há nenhuma informação oficial sobre o assunto. #Resenha Esportiva #Brasileirão