Há exatos catorze dias, o futebol mundial vivenciou seu mais profundo luto. Isso porque uma tragédia aérea ceifou a vida de 71 pessoas, incluindo a delegação do clube esportivo catarinense, #Chapecoense, sete tripulantes e 20 jornalistas.

Dos 77 passageiros, apenas seis sobreviveram, dentre eles, quatro brasileiros. Nessa segunda-feira, 12, Jackson Follmann foi trazido para o Brasil. A aeronave, chamada de ‘UTI Móvel’, pousou em Manaus, por volta das 20h30, para abastecer, retornando a viagem em seguida, rumo a São Paulo, onde Follmann concluirá seu tratamento no hospital Albert Einstein, que fica no Morumbi.

O goleiro é o primeiro sobrevivente da tragédia que retorna para o Brasil.

Publicidade
Publicidade

Alan Ruschel e Rafael Henzel devem retornar entre essa terça-feira, 13 e quarta-feira, 14. Neto, apesar de estar consciente e ter tido conhecimento nessa segunda-feira, da tragédia que aconteceu, ainda não tem previsão de quando retorna ao Brasil. Os outros dois sobreviventes, o técnico de voo Erwin e a aeromoça, Ximena, já tiveram alta na semana passada.

A reação dos sobreviventes

Jackson Follmann surpreendeu os médicos e familiares com sua maturidade e força ao receber a notícia da tragédia. Ele ficou muito triste por perder seus amigos no acidente, mas quanto a amputação de parte de sua perna direita, o atleta teria dito, segundo os médicos que lhe acompanham, que prefere a sua vida à perna amputada.

Já Alan Ruschel ficou muito emocionado e segundo seu pai, não acreditava no que estavam lhe contando.

Publicidade

Seu pai disse que ele apenas questionava se aquilo era verdade. O jogador atribuiu o fato de estar vivo a um milagre de Deus e ficou um pouco agitado na noite em que soube do acidente. O atleta está bem e já caminha pelo hospital. O mesmo tem planos de voltar a jogar futebol assim que terminar seu tratamento.

Neto foi informado nessa segunda-feira, 12, que seus colegas de clube faleceram. Os médicos brasileiros que acompanham os sobreviventes na Colômbia, bem como uma psicóloga, contaram para o zagueiro o que houve. Ele ficou muito emocionado com a notícia, fez diversas perguntas sobre como tudo aconteceu, mas entendeu. Os médicos acreditam que isso pode ajudá-lo no tratamento, pois desde que acordou, o atleta tem perguntado para a família porque está no hospital e questiona sobre a final da Copa Sul-Americana, mas os familiares não podiam falar a verdade.

Conforme o policial colombiano que resgatou Neto informou, o jogador foi um verdadeiro guerreiro, pois foi o último a ser resgatado com vida, quando as buscas já estavam prestes a terminar. Ele teve inúmeras lesões na vértebra e na lombar, bem como machucou a cabeça, mas tem sido forte e até o momento, não apresenta sequelas visíveis. #ForçaChape #Resenha Esportiva