É indiscutível que um dos maiores ídolos que o Brasil já possuiu foi Ayrton Senna, piloto de Fórmula 1, que até hoje, mais de duas décadas após a sua morte, continua sendo admirado pelos seus feitos e conquistas dentro e fora das pistas de alta velocidade. Senna teve a sua vida ceifada realizando aquilo que mais gostava de fazer, pilotar um desses magníficos carros de corrida. Sendo assim, qualquer notícia que esteja correlacionada com ele acaba despertando a atenção da sua legião de fãs fieis e das pessoas em geral. Por exemplo, no próximo dia 18 de dezembro, o programa “Eliana”, transmitido pelo SBT veiculará a reportagem bombástica sobre uma verdadeira história de amor vivida por Ayrton Senna na década de 80 com uma empresária, que havia herdado a empresa fabricante das duchas Corona.

Publicidade
Publicidade

Esse fato passou imperceptível para a maior parte das pessoas. Tanto que, atualmente, Adriane Yamin está com 47 anos de idade e resolveu só depois de tanto tempo do falecimento trágico de Senna dar a sua versão oficial do relacionamento entre os dois, situação que nunca tinha sido revelada anteriormente, mesmo ela tendo ficado junto ao renomado tricampeão de Fórmula 1 por quatro anos.

Enfim, mas para que o furo jornalístico pudesse finalmente ser revelado na #Televisão, as negociações duraram mais de um ano, quando os familiares diretos do piloto, além de ratificar todos os fatos que dizem respeito ao relacionamento amoroso do casal, forneceram imagens e fotografias inéditas de ambos à produção do programa Eliana.

Adriane, que por coincidência tem o mesmo nome de uma outra namorada famosa de Ayrton, a apresentadora e modelo Adriane Galisteu, fez questão de dar a versão real dela à Eliana, dizendo o seguinte: “cansei de ouvir minha história sendo contada por outras pessoas e é hora de eu mesma dizer o que vivi com ele”.

Publicidade

Na reportagem, que vai ao ar na próxima semana, Yamin esclareceu o motivo de viver uma tórrida história de amor com o campeão à margem da mídia. Adriane tem no poder dela inúmeras cartas de amor que o piloto morto em um acidente no circuito de Ímola, Itália, no mês de maio de 1994, havia escrito para ela.

O casal namorou do ano de 1985 até 1988 e ela foi testemunha da 1ª corrida ganha por Senna no Grande Prêmio de Portugal em 1985 e também participou da conquista do primeiro dos três prêmios mundiais em que o brasileiro sagrou-se campeão mundial de Fórmula 1 em 1988.

A título de informação, a família de Ayrton revelou através de sua assessoria ao portal UOL, em novembro, que em 2019, finalmente estreará o longa-metragem em Hollywood, abordando a vida de luta, tentativa, sucesso e morte inesperada do tricampeão, justamente no ano em que será lembrado o 25º aniversário de morte de Senna. #Tragédia #Comportamento