O #Palmeiras foi o clube brasileiro que mais contratou até então. Com vaga na Copa Libertadores 2017 (sorteio ocorreu ontem em uma cidade do Paraguai), o Verdão largou na frente dos rivais. O problema, questionado pela torcida, são os nomes que foram apresentados.

Raphael Veiga, meia do Coritiba, Hyoran, meia da Chapecoense, e Keno, atacante do Santa Cruz. Nenhum dos três nomes empolgou os torcedores, que esperam um pouco mais da atitude palmeirense no #Mercado da bola.

Paulo Nobre, ex-presidente do clube, tomou atitude drástica antes de sair e que pode ter prejudicado a caminhada em busca de novos nomes: tentou impugnar a candidatura de Leila Pereira ao Conselho Deliberativo palmeirense.

Publicidade
Publicidade

Leila, presidente da Crefisa, chegou até a chamá-lo de 'covarde' por tal atitude. Maurício Galiotte, novo gestor, disse que esse 'probleminha' não impedirá o Palmeiras de renovar com a financeira e com a faculdade (Faculdade das Américas - FAM - é uma das empresas comandadas por Leila Pereira também).

Segundo o Lance!, jornal diário esportivo, o atacante Borja, do Atlético Nacional-COL, virou um sonho distante. Para ter o colombiano, o Palmeiras ouviu que precisaria desembolsar cerca de R$ 70 milhões. Mesmo com situação financeira muito boa, Alexandre Mattos, executivo de #Futebol, entendeu que o valor transcende o padrão do futebol brasileiro.

Outro jogador que foi oferecido foi Alario, do River Plate. O atacante do time argentino não agradou a nova comissão técnica e o negócio foi abortado.

Publicidade

E para o meio campo?

Mesmo com Moisés jogando em alto nível e Cleiton Xavier fazendo 'sombra', o Palmeiras quer um novo jogador para a função. Gustavo Scarpa, do Fluminense, é o nome mais perto de fechar.

Scarpa não gostou da proposta de renovação do Fluminense e retomou para a estaca zero. De olho no jogador desde 2015, o Palmeiras já fez uma proposta e ofereceu salário duas vezes maior além de um planejamento exclusivo, com disputa da Libertadores e modelo de premiação por conquistas.

O torcedor palmeirense terá novidades antes do Natal?