Um reserva de luxo. Foi assim que um dos artilheiros da história do Campeonato Brasileiro, com 100 gols marcados, foi visto durante bons tempo no #Palmeiras.

Com Marcelo Oliveira ele teve algumas chances - assim como aconteceu com Cristaldo, o argentino talismã palmeirense que, em quase todas as vezes que foi solicitado, deixava seu gol para a salvação do time inteiro. Mas sofreu, e não foi pouco, amargando, inclusive, um período sem vestir a camisa do Palmeiras por dopping.

Ano passado, durante um jogo pelo Brasileirão, em outubro, após ser substituído logo no início do segundo tempo da partida contra a Ponte Preta, no Allianz Parque - que terminou com a vitória dos visitantes por 1 a 0 -, o centroavante foi hostilizado por alguns torcedores e respondeu, esbravejando, mandando os palmeirenses "tomar no...".

Publicidade
Publicidade

Mas o fato não o desmotivou e ele foi preciso para Marcelo Oliveira conquistar, dia 2 de dezembro de 2015, o título da Copa do Brasil.

Estamos falando de Alecsandro, atleta palmeirense desde junho de 2015 e que já disputou 54 partidas com o manto sagrado do Verdão tendo balançado as redes por 14 vezes, muitas vezes em momentos cruciais.

"Alecgol" ficou afastado dos gramados por quase dois meses neste segundo semestre de 2016, após teste antidoping dar resultado positivo para a substância O-Dephenylandarine, presente no organismo do atleta por constatação em exame realizado em abril deste ano, no dérbi pela primeira fase do Campeonato Paulista. Na ocasião, a decisão do TJD (Tribunal de Justiça Desportiva) determinou a punição ao jogador com afastamento dos campos por dois anos. Mas, em setembro, o centroavante obteve efeito suspensivo determinado pela Wada (Agência Mundial Antidoping), e voltou a treinar normalmente com o elenco do Verdão.

Publicidade

Apesar de ter recebido proposta para se transferir para o Vasco da Gama na próxima temporada, Alecsandro optou pela renovação com o Palmeiras para mais uma temporada e justificou a decisão dizendo que se apaixonou pela torcida do Verdão, lembrando os dois títulos nacionais conquistados no clube e enaltecendo o desejo pela continuidade do trabalho implantado pelo técnico Cuca. Outro fator que pesou para a sua permanência, segundo o atleta, é a construção do Centro de Excelência que será inaugurado no início do próximo ano. #PaixãoPorFutebol #Mercado da bola