Impossível não se emocionar com a atitude de dona Alaíde, mãe do goleiro Danilo, da Chapecoense, que durante uma entrevista na tarde desta sexta-feira (02), deixou de lado sua dor para consolar Guido Nunes, repórter do SporTV, que ficou emocionado na Arena Condá, estádio do time em Chapecó, Santa Catarina. Guido foi entrevistar justamente a mãe de Danilo, uma das grandes estrelas do time, que faleceu na queda do avião.

Guido Nunes fazia sua entrevista, quando de repente a dona Alaíde quis saber se ela poderia lhe fazer uma pergunta. Surpreso diante da atitude daquela mãe, o repórter autorizou que ela perguntasse e foi então que aquela senhora quis saber o que Guido Nunes e toda a imprensa estava sentindo diante da morte de tantos colegas.

Publicidade
Publicidade

Essa foi a pergunta de dona Alaíde: "Como vocês da imprensa estão se sentindo tendo perdido tantos colegas, tantos amigos?".

Guido Nunes ficou tão emocionado que caiu no choro imediatamente. É difícil descrever o que ele sentiu naquele momento, mas chega a ser uma mistura de sentimentos, pois aquela senhora perdeu um filho, no entanto, ela deixou sua dor de lado para se preocupar com a dor do repórter, um desconhecido, mas sabia que assim como ela, também ele e os demais colegas da imprensa estavam sofrendo.

Ao ver o repórter chorar copiosamente, dona Alaíde teve uma outra nobre atitude e perguntou se podia abraçá-lo, pela imprensa e a cena comoveu a todos e "Dona Alaíde" logo se tornou um dos assuntos mais comentados das redes sociais.

Além do forte abraço, dona Alaíde ainda disse a Guido: "Esse abraço é por toda a imprensa, que perderam amigos que estava levando alegria, por vocês que viram a carreira desses meninos se interromperem, é por vocês".

Publicidade

Marcelo Barreto, jornalista do SporTV, vendo que Guido estava muito emocionado, pediu para dar uma pausa na reportagem, já que ele não teria condições de falar mais nada, pois ficou completamente comovido diante de um gesto tão bonito, tão nobre, daquela mãe que mostrou que mesmo na dor, é possível ser solidário, enxergar a dor do outro e ir de encontro a ele, oferecendo nem que seja um abraço e palavras de amor.

#Tragédia #Chapecoense #Futebol