Com posse marcada para o próximo dia 20 de dezembro, o presidente eleito Pedro Abad, sem qualquer tipo de pressa e de forma sigilosa, vem montando a equipe que será a responsável pela organização do departamento de futebol do Fluminense. Até ao momento, as únicas definições conhecidas são a de Abel Braga para a função de treinador e de Marcelo Teixeira, que deixa a administração das categorias de base e passará a gerir a transição dos atletas formados em Xerém para o elenco profissional.

Filho de Carlos Alberto Torres, ex-capitão do tri, falecido recentemente, Alexandre Torres, que, assim como o pai, quando jogador, iniciou a carreira no próprio Tricolor, é outro cotado para trabalhar nas Laranjeiras.

Publicidade
Publicidade

Atualmente, ele trabalha como consultor do Manchester United e, vindo, seria uma espécie de diretor de futebol.

Quem também pode estar chegando é Fernando Gonçalves. O dirigente, que já trabalhou no clube em 2007 e, no momento, integra a gestão Eduardo Bandeira, no Flamengo, seria o novo gerente-executivo, substituindo Jorge Macedo, demitido na semana passada.

Já a vice-presidência da modalidade, depois da recusa de Pedro Antônio, responsável pela pasta de projetos especiais, segue sem um prognóstico. Derrotado nas últimas eleições, Celso Barros se colocou à disposição para exercer o cargo, mas, por enquanto, Pedro Abad não respondeu se aceita a participação do ex-presidente da Unimed, antiga patrocinadora do Fluminense. A expectativa é de que todos os nomes sejam oficialmente divulgados pelo futuro presidente após o fim das competições em 2016.

Publicidade

Time para 2017

Simultaneamente aos bastidores, o Flu vem trabalhando na montagem do elenco para 2017. No clube desde 2009, Gum recebeu uma proposta do Trabzonspor, da Turquia e deve rumar para a Europa. Quem também pode deixar as Laranjeiras é Gustavo Scarpa. Atual destaque da equipe, o meia, cujo vínculo com o Tricolor se encerra no final de 2019, vem sendo assediado pelo Palmeiras, que, inclusive, não descarta oferecer jogadores para um possível troca-troca.

Com contratos se encerrando em dezembro, Magno Alves e Jonathan serão dispensados. Outros que não fazem parte dos planos são Giovanni, Pierre, Dudu, Maranhão, Danilinho, Osvaldo e Henrique Dourado. Nesses casos, a medida seria emprestá-los, uma vez que seus compromissos têm longa duração. Para complicar, alguns retornam de empréstimos e não têm futuros definidos.

Além das dispensas, o #Fluminense volta as suas atenções para o mercado em busca de reforços. Nos bastidores, Abel Braga teria pedido cinco contratações: dois zagueiros, um lateral-esquerdo, um meia e um centroavante.

Publicidade

Vale lembrar que, no segundo semestre desse ano, os equatorianos Jefferson Orejuela (volante) e Junior Sornoza (meia), destaques do Independente Del Valle, vice da Taça Libertadores, assinaram um pré-contrato e desembarcam nas Laranjeiras no início de janeiro o ano que vem.

Campeonato chegando ao fim

Paralelo aos acontecimentos de fora das quatro linhas, dentro delas, o Fluminense encerra, no próximo domingo, a sua participação em 2016. A partir das 17h (de Brasília), no estádio Giulite Coutinho, em Édson Passos, distrito do Grande Rio, o Tricolor das Laranjeiras, 12.º colocado (49 pontos) e garantido na Copa Sul-Americana, encara, pela última rodada do Campeonato Brasileiro, o Internacional. #Mercado da bola #FutebolBrasileiro