Os corintianos otimistas podem bradar: o ano de 2016 não foi de todo perdido, afinal, depois de cinco tentativas, o #Corinthians torna-se campeão da Liga Nacional de Futsal, ao vencer o Sorocaba por 5 a 2, na noite desta segunda-feira (12/12)

E não pense que o Sorocaba é um time qualquer: é apenas a equipe do Falcão, o melhor jogador de #Futsal do Mundo.

No jogo de segunda-feira, à noite,no Parque São Jorge, Leandro Caires, Vander Carioca, Deives (2) e Marcel fizeram os gols do campeão. O super craque #Falcão marcou para o Sorocaba, que chegou a empatar o jogo (o que também daria o título ao Timão).

Nesta temporada da Liga, o Corinthians disputou 25 partidas, venceu 15, empatou 5 e perdeu 5.

Publicidade
Publicidade

O Atlético Mineiro é o time detentor de mais títulos na Liga Nacional (que foi fundada em 1996), com dois (1997 e 99).

O Corinthians tem tradição de bom desempenho da Liga, mas nunca havia conseguido o título. Desde 2010, o Timão vem chegando e caindo na reta final.

No começo deste ano, o futsal corintiano ficou seriamente ameaçado por falta de verbas. A solução foi trabalhar com a base, com revelações que demandaram poucos investimentos.

Assim como o elenco profissional, que perdeu diversos jogadores, o futsal perdeu atletas importantes, como os selecionáveis Simi e Neto, o fixo Marinho, os alas Caio e Valdin e os pivôs Elisandro, Charuto e Gabriel Bi.

Mais tarde, foi a vez do técnico Ferretti, que foi para o Sorocaba.

A vez dos meninos

Mas, a solução estava em casa.

Técnico da equipe sub-20 até o ano passado, André Bié assumiu este ano e promoveu Douglas, Edgar, Rocha, Marcel e Leandro Lino.

Publicidade

Entretanto, se conseguiu levantar o caneco de campeão, o futuro pode não ser assim tão risonho. Algumas dessas revelações podem deixar o clube no começo do ano, rumo ao rico Magnus Sorocaba. Também deve seguir para lá o pivô Deives, considerado o melhor jogador da Liga.

Contra essas fortes ameaças, o Corinthians só tem uma saída, com duas opções: seguir o exemplo deste ano e se voltar para as revelações; ou conseguir, com seu patrocinador, a Unip, verba bem maior - o que não parece tarefa fácil no atual momento econômico brasileiro.