Um dia após a saída de Oswaldo de Oliveira, o #Corinthians não escolheu quem será seu treinador em 2017, mas a diretoria espera fechar a contratação de quatro reforços ainda neste ano. As negociações com o volante Rithely e o meia Wagner são as que se encontram em estágio mais avançado. A diretoria ainda trabalha com um nome para a zaga e outro para o ataque.

Sem condições de jogar no Tianjin Teda, em razão do excessivo número de estrangeiros no clube chinês, Wagner tem contrato até o meio do ano que vem, mas espera uma liberação da FIFA para poder acertar sua transferência para o Parque São Jorge. De acordo com o próprio jogador, este é o único detalhe pendente.

Publicidade
Publicidade

Apesar de ter sido um pedido de Oswaldo de Oliveira, o clube ainda trabalha na contratação do volante Rithely, que trabalhou com o ex-treinador no Sport. Porém, o fato do jogador ter negociado diretamente com Oswaldo acabou criando um clima tenso no clube pernambucano, que tem eleições presidenciais marcadas para esta sexta-feira e o resultado dela norteará as negociações.

Surpreso

O técnico Oswaldo de Oliveira ficou bastante chateado com sua demissão do Corinthians. Apesar da campanha irregular na segunda metade do Campeonato Brasileiro, que custou uma vaga na Taça Libertadores da América, mesmo após o aumento no número de vagas, o treinador tinha a palavra do presidente Roberto de Andrade que permaneceria à frente do clube em 2017. Ele inclusive já havia indicado uma lista de #Reforços a serem contratados.

Publicidade

No entanto, uma forte pressão exercida por conselheiros do clube fez o mandatário mudar seu posicionamento e, mesmo contra sua vontade, sacramentar a demissão.

Um técnico demitido em oito anos

Neste ano o Corinthians teve um ano atípico com relação aos seus técnicos. Desde quando foi rebaixado em 2007, o Timão demitiu apenas um treinador nos últimos oito anos. Ainda no Brasileirão de 2009, Adílson Batista foi contratado para o lugar de Mano Menezes, que havia indo para a Seleção. A queda de desempenho do time, no entanto, fez o treinador durar apenas 17 jogos.

Para seu lugar veio Tite, que levou o time ao título brasileiro do ano seguinte – ele resistiu à traumática eliminação para o Tolima na Libertadores, fato raro entre clubes brasileiros -, o da Libertadores e Mundial em 2012. Saiu em 2013 ao fim do seu contrato e Mano Menezes retornou em 2014, mas não teve seu contrato renovado, abrindo espaço para a volta de Tite, que só deixou o Parque São Jorge para trabalhar na Seleção.

Nos últimos meses, o cenário mudou completamente e o time mandou dois treinadores embora em um espaço de 89 dias. Contratado para o lugar de Tite, veio Cristóvão Borges, que ficou no time em apenas 18 jogos. Com Oswaldo foi ainda pior: dois meses no cargo e nove jogos. #Sport Recife