Em 2016 craques de várias épocas partiram, deixando como legado um grande futebol e histórias incríveis no Brasil e no mundo. Veja uma lista de ex-jogadores que morreram neste ano. Exceto por Caio Júnior e Mário Sérgio, não incluímos o elenco da Chapecoense, pois estes ainda estavam em atividade quando faleceram.

Reginaldo Araújo (11 de janeiro)

Vice-campeão da Libertadores em 2003 pelo Santos, o ex-lateral Reginaldo Araújo morreu aos 38 anos devido à problemas cardíacos. Também teve boas passagens por São Paulo e Coritiba.

Leonardo (1º de março)

Ídolo do Sport na década de 90 e início dos anos 2000, Leonardo morreu aos 41 anos, por falência múltipla dos órgãos em decorrência de uma doença chamada neurocisticercose, que se dá pela ingestão de alimentos mal tratados.

Publicidade
Publicidade

Cesare Maldini (3 de março)

Ex-zagueiro do Milan e técnico da Itália, Cesare Maldini morreu aos 83 anos. Levou a Azurra até as quartas de finais da Copa de 98 e em 2002 foi com a seleção paraguaia até as oitavas de finais na Copa da Ásia.

Gaúcho (17 de março)

Ex-centroavante de Flamengo e Palmeiras, #Gaúcho ficou marcado por defender duas cobranças em uma disputa de pênaltis no Maracanã quando atuava pelo Verdão em um jogo contra o próprio Flamengo pelo Brasileirão de 88. Na ocasião, o goleiro Zetti tinha se machucado, obrigando o jogador de linha a ir para a meta. Tinha 53 anos e faleceu em decorrência de um câncer de próstata.

Johan Cruyff (24 de março)

#Cruyff é considerado um dos maiores jogadores holandeses da história e foi um dos protagonistas da famosa Laranja Mecânica da Copa de 74.

Publicidade

Fez história com a camisa do Barcelona e, já como técnico, levou o time catalão a primeira conquista da Liga dos Campeões. Lutava contra um câncer nos pulmões e morreu aos 68 anos.

Patrick Fabionn (25 de abril)

Morreu aos 35 anos, em um hospital de São Paulo, após complicações em uma cirurgia no cérebro. Atuou por Mirassol, Ituano, Cruzeiro e Fortaleza.

Caçapava (27 de junho)

Ídolo do Internacional nos anos 70, Luís Carlos Melo, o Caçapava, morreu aos 61 anos, vítima de infarto. Foi quatro vezes campeão gaúcho com a camisa colorada e trabalhava no setor de relacionamento social do clube.

Fábio Santos (8 de julho)

Jogador revelado pelo Palmeiras e com passagens por equipes do interior de São Paulo, como União São João, Atlético Sorocaba e XV de Piracicaba, morreu aos 38 anos em Itajaí, após ficar mais de um mês internado em decorrência de um AVC.

Vacaria (30 de julho)

Poucos dias após a morte de Caçapava, o Internacional perdeu outro ídolo dos anos 70. O ex-jogador Vacaria morreu aos 67 anos, por falência múltipla dos órgãos, em Canoas.

Publicidade

Mazolinha (05 de setembro)

Campeão carioca com o Botafogo em 1989, fez o cruzamento que originou o gol de Maurício, na vitória por 1 a 0 sobre o Flamengo, pondo fim ao jejum de 21 anos do alvinegro. Morreu de infarto, aos 57 anos.

Carlos Alberto Torres (25 de outubro)

Capitão da Seleção Brasileira na conquista do tri mundial no México em 1970, Carlos Alberto Torres, o Capita, brilhou com as camisas de Fluminense, Santos, Botafogo e Flamengo. Como treinador foi campeão brasileiro com o Flamengo em 83, carioca com o Fluminense em 84 e da extinta Copa Conmebol com o Botafogo em 93. Aos 72 anos, trabalhava como comentarista de TV e sofreu um infarto fulminante em sua casa.

Mário Sérgio (29 de novembro)

Uma das 71 vítimas do acidente da Chapecoense, Mário Sérgio atuou por Flamengo, Vitória, Fluminense, Botafogo, São Paulo, Grêmio, Palmeiras, Bahia, dentre outros. Jogou também no Rosário Central da Argentina. Foi treinador e trabalhava como comentarista no canal Fox Sports. Tinha 66 anos.

Caio Júnior (29 de novembro)

Técnico da Chapecoense também vitimado no trágico acidente com o time. Como jogador atuou por Grêmio e Inter, em alguns clubes de Portugal e no Paraná Clube, time que como treinador, conduziu à inédita vaga na Copa Libertadores. Também dirigiu Palmeiras, Goiás, Flamengo e Grêmio, dentre outros. Tinha 51 anos. #Carlos Aberto Torres