O goleiro Jackson Follmann, um dos sobreviventes do acidente aéreo que matou mais de 60 pessoas em Medellín, na Colômbia, chegou no Brasil na madrugada desta terça-feira, por volta da 1h20 e foi levado para o Hospital Israelita Albert Einsten, em São Paulo. Após ter passado por alguns exames, constatou-se que terá que passar novamente pela sala de cirurgia.

De acordo com o boletim médico, assinado pelo Dr. Jorge Roberto Padura, médico responsável pelo caso do arqueiro, "o paciente foi submetido a uma série de exames de imagens e diversos exames laboratoriais. Após a avaliação desses exames e discussão interdisciplinar, optou-se pela correção cirúrgica da fratura do processo odontóide (fixação da segunda vértebra cervical)".

Publicidade
Publicidade

Assim que chegou, Jackson foi encaminhado para a UTI (Unidade de Terapia Intensiva) e ainda em solo colombiano já havia passado por procedimentos cirúrgicos quando precisou amputar parte da sua perna direita.

Ainda, segundo Jorge Padura, o paciente, apesar da necessidade de realizar a cirurgia para a correção da segunda vértebra, uma das responsáveis pelo movimento da cabeça, está lúcido e em recuperação.

É provável que o goleiro passe por mais uma cirurgia, ainda sem data confirmada, no pé esquerdo.

Neto conversou com o companheiro antes do goleiro voltar para o Brasil

Horas antes do jogador da #Chapecoense, Jackson Follmann, deixar Medellín e embarcar rumo ao hospital Albert Einstein, em São Paulo, o zagueiro Neto, que até então está no mesmo hospital onde o arqueiro ficou internado, conversou com o amigo e deu o seguinte conselho.

Publicidade

"Ele falou uma coisa bem interessante para o Follmann. Comemore a vida. Nós somos sobreviventes, comemore a sua vida", disse o médico Carlos Mendonça, que acompanhava o goleiro da Chapecoense, quando ambos passaram em frente à sala em que Neto estava.

Neto, que pode retornar para o Brasil dentro de alguns dias, já está respirando sem ajuda de aparelhos há mais de dois dias e também não tem mais febre. Enquanto aguarda o aval dos médicos para retornar ao Brasil, o zagueiro segue se recuperando das lesões que teve pelo corpo e de uma infecção pulmonar.