O ditado universal de que “o importante é competir”, parece não ser o lema principal para o fisiculturista grego Giannis Magos, que na semana passada não aceitou o resultado de uma competição na capital da Grécia, Atenas, que o deixaria pela 3ª vez com a 2ª colocação e, sem mais nem menos, aplicou um golpe violento em dos juízes da prova, levando o mesmo a nocaute e causando a indignação da maior parte das pessoas presentes no evento esportivo.

Na realidade, tratava-se da competição da categoria “Diamante” da IFBB – Federação Internacional de Fisiculturismo 2016 e Magos. Um dos representantes da Grécia, pouco antes do momento da agressão, obteve êxito em conquistar a colocação mais importante na competição para atletas de até 100 kg; todavia, no último instante, o mesmo acabou não resistindo ao assédio de seu principal oponente, o também competidor grego Christos Pistolas e acabou ficando oficialmente com a 2ª posição na tabela de classificação geral do torneio.

Publicidade
Publicidade

Foi o que bastou para que o atleta da Grécia perdesse a cabeça de uma vez por todas, devido à frustração e ira em ser “condenado” por 3 vezes consecutivas a ter de se contentar com um 2º lugar na competição de atletas voltados à construção estética, física e de performance do corpo humano. A partir daí, Giannis desferiu um soco violento no rosto do juiz Armando Márquez, conhecido internacionalmente no universo dos atletas e fãs do esporte gerido pela Federação Internacional de Fisiculturismo.

Entretanto, o problema não ficou só no soco potente que levou o juiz ao solo semi-inconsciente, mas conforme o relato dos outros juízes que estavam presentes no encontro, Magos não se fez de rogado e acabou mostrando a genitália como uma forma de protesto para Rafael Kelts, presidente da IFBB. Tão logo a agressão se concretizou, o grego foi retirado pelos assistentes do local da prova.

Publicidade

De acordo com informações veiculadas pelo site “Evolução da Musculação", especializado nas atividades do fisiculturismo, Kelts reforçou que “o concorrente envolvido no incidente tem de receber a sanção mais grave que o IFBB pode dar". Rafael fez questão de acrescentar ainda, que o ato do atleta mostrar as parte íntimas em público, por si só, justifica uma suspensão vitalícia do grego em relação às competições futuras.

Veja o vídeo e tire você mesmo as suas conclusões

#Esportes #Europa #Violência