Haris Seferovic é o nome do atacante que o Benfica escolheu para reforçar o plantel já no início de janeiro. Tal como informa o site do jornal “A Bola”, em final de contrato, o clube português, por dois milhões de euros, pode garantir já a chegada do suíço de 24 anos, que atualmente brilha no Campeonato alemão, ao serviço do Eintracht Frankfurt. Visto que Jonas está atravessando grandes dificuldades físicas nos últimos meses, a chegada de Haris pode ser o reforço que faltava para garantir ainda mais gols ao time português, que luta para conquistar novamente o Campeonato português.

Apesar de estar na liderança, com mais quatro pontos que o segundo classificado, o rival FC Porto, a verdade é que o Benfica está já preparando as saídas e entradas do plantel para o próximo mês.

Publicidade
Publicidade

Com a venda do zagueiro Lindelof para o Manchester United certa, permitindo que o Benfica receba 45 milhões pelo sueco, o clube português vai agora usar parte desse dinheiro para reforçar o plantel em zonas dos gramados que estão mais debilitadas, como é o caso da zona atacante.

Por isso mesmo, e aproveitando o fato do jovem talentoso Haris Seferovic estar com seu contrato perto do fim, Benfica quer poupar o máximo de dinheiro possível na sua contratação. Segundo o jornal esportivo “A Bola”, o campeão português está disponível para pagar cerca de dois milhões pelo suíço, uma verba que teria agradado aos dirigentes do time alemão, que quer arrecadar o máximo de dinheiro possível pelo seu craque, que em julho poderia sair a custo zero do clube.

Nas redes sociais, esse negócio milionário está arrepiando muitos sócios benfiquistas, que já garantiram que, através de vários vídeos no “Youtube”, sobretudo dos gols do jovem talento, ficaram conquistados com o talento e capacidade goleadora do jovem de 24 anos.

Publicidade

Contudo, e talvez por causa da sua saída eminente, o suíço apenas jogou em treze jogos pelo Eintracht Frankfurt, tendo marcado dois gols na presente temporada. Quanto a Jonas, o futuro do atacante brasileiro, sobretudo por causa das lesões, é cada vez mais incerto. #Negócios #Futebol Internacional