Blake Bortles está próximo de perder todo o prestígio que acumulou na NFL. No ano passado, seu segundo como profissional, o camisa 5 foi considerado uma das grandes promessas. Bortles e Derek Carr “disputavam” quem seria o quarterback mais promissor da liga. Enquanto vê seu contemporâneo de Draft 2014 levar os Raiders de volta aos playoffs, Blake pode perder seu posto.

O general manager dos Jaguars, Dave Caldwell, disse em entrevista coletiva na última segunda-feira (19), que o futuro de Bortles dependerá do novo técnico. Segundo Caldwell, o head coach terá liberdade em decidir se segue com Blake e ou se aposta em outro quarterback para comandar a franquia.

Publicidade
Publicidade

“Ninguém é intocável”, afirmou o GM.

Após um 2015 espetacular com a segunda maior marca de Touchdowns lançados na NFL, Bortles regrediu. De 35 TDs, 18 interceptações, 4428 jardas, 58.6% de passes completados e um rate de 88.2, para 21 TDs, 16 INTs, 3279 jardas, 57.8% de passes completados e um rate 75.8. Uma queda que se aproximou das estatísticas do seu ano de calouro.

A falta de sombra no banco

Se Brock Osweiler teve uma partida horrorosa na semana 15 da NFL, contra o próprio Jacksonville e os Texans o colocaram no banco, Bortles continuou no jogo. Um dos motivos é a falta de concorrência na sideline, já que Chad Henne teve anos lamntáveis quando foi titular dos Jax antes de Blake ser draftado.

Nessa partida contra os Texans, que culminou na demissão do técnico Gus Bradley, Bortles acertou apenas 12 de 28 passes tentados conseguindo pífias 92 jardas e sendo interceptado uma vez.

Publicidade

O que mais impressiona é que a linha ofensiva de Jacksonville melhorou bastante sua proteção ao QB. Foram 51 sacks sofridos em 2015 e 55 em 2014. Nesta temporada, o número caiu para 30.

Marrone é o novo interino; Coughlin no radar

Falando em evolução da linha ofensiva, Doug Marrone, o treinador da unidade, foi nomeado como técnico interino até o final da temporada. Marrone acumulava a função de assistente de Gus Bradley e já teve experiência como head coach na NFL.

Doug treinou o Buffalo Bills em 2013 e 2014. Ao todo foram 32 jogos, com 15 vitórias e 17 derrotas. A princípio, o general manager Dave Caldwell não citou a possibilidade de Marrone ser efetivado após os dois jogos finais do ano. O interino deve manter Bortles como QB1 na reta final.

Devido ao seu passado vitorioso em Jacksonville, Tom Coughlin foi citado por jornalistas como um possível nome para o comando da franquia. Caldwell informou que o técnico ex-Giants é sim um candidato a head coach.

“Tom Coughlin é alguém que estamos interessados em conversar. Ele tem muita experiência no ramo e é uma grande pessoa”, afirmou o general manager dos Jax em coletiva à imprensa norte-americana. #Futebol Americano #NFL - National Football League