Aliviado, o Palmeiras ainda comemora o enea campeonato brasileiro de sua história. A nona conquista chegou após 22 anos de muita espera. Foram muitos vacilos adminstrativos e financeiros nesse meio tempo que fizeram o clube alviverde ser rebaixado por duas vezes (2002 e em 2012).

Paulo Nobre, atual presidente e que deve deixar o cargo na próxima semana para a entrada de Maurício Galiote, pegou o time na Série B e prometeu mudanças. Nos dois primeiros anos as coisas não andaram como deveriam andar. Em 2014, ano do Centenário, por pouco o Verdão não se complica e cai pela terceira vez.

2015 foi o ano da mudança. Com dinheiro em caixa, Nobre trouxe Alexandre Mattos.

Publicidade
Publicidade

Com muito conhecimento de mercado, Mattos 'lotou' o clube de atletas. O mix deu certo e logo na primeira disputa de título, o vice. Em Santos, o Verdão sucumbiu para o time do Litoral nos pênaltis. Ainda assim o trabalho foi considerado positivo.

No Brasileiro, o time foi levando com a barriga e avançando forte na Copa do Brasil. Em nova final contra o Santos, vitória nos pênaltis em casa e título garantido.

Focado na Libertadores esse ano, o #Palmeiras não conseguiu avançar e caiu na primeira fase. No Brasileiro, porém, o clube se destacou e fez uma das melhores campanhas dos pontos corridos, levantando a taça e deixando os torcedores felizes e esperançosos por um novo título continental em 2017.

Com três reforços garantidos (Keno, Santa Cruz; Raphael Veiga, Coritiba; Hyoran, Chapecoense), chegou a hora de 'esvaziar' o elenco.

Publicidade

Alexandre Mattos, executivo de #Futebol, está perto da renovação e deve iniciar o trabalho para o ano que vem.

Dispensas

Um dos atletas que não deve ficar é Alecsandro. Cuca, ex-técnico do Alviverde, preferiu manter Róger Guedes, Dudu e Gabriel Jesus no ataque e não deu muitas oportunidades para o atacante, que amargou banco. O caso de doping também balançou e fez com que o atleta ficasse de fora por algumas partidas cruciais.

O Vasco, que já teve Alecsandro em 2011 e foi Campeão da Copa do Brasil, deseja contar com ele novamente. O Palmeiras ainda não o procurou para renovar e, por isso, as chances aumentam. O contrato de Alecgol (como é apelidado) termina no dia 31 deste mês. #Mercado da bola