O Palmeiras, atual campeão brasileiro, sofreu um duro golpe nesta semana. Cuca, que treinou a equipe durante todo o período, confirmou sua saída do comando técnico alviverde. De acordo com informações do próprio treinador, a ideia é ficar parado por pelo menos seis meses para cuidar de questões familiares.

Pego com 'as calças nas mãos', o Alviverde retornou ao mercado para buscar um substituto. O projeto para 2017 é ambicioso e envolve a disputa da Copa Libertadores. Todos os esforços serão voltados para a conquista da competição continental, mesmo sabendo da dificuldade e principalmente do tamanho: vai até novembro.

Alberto Valentim, auxiliar fixo do Verdão, teve seu nome ventilado para ser efetivado.

Publicidade
Publicidade

A inexperiência, no entanto, foi levada em consideração e o nome foi descartado. Técnicos estrangeiros também não são bem vistos. Paulo Bento, que dirigiu o Cruzeiro, é um exemplo clássico do que não deu certo. Um exemplo mais próximo ainda é Ricardo Gareca, que ficou menos de 15 jogos no Verdão, trouxe uma legião de argentinos e quase contribuiu para a terceira queda para a segunda divisão da história.

Reinaldo Rueda, do Atlético Nacional, foi oferecido para o São Paulo recentemente. Seria outra possibilidade se não fosse o receio dos palmeirenses.

Opção vem do interior

Roger Machado acertou com o Atlético-MG e Abel Braga com o Fluminense. Ou seja, dois nomes que estavam também no radar acabaram indo para outros clubes. A opção mais viável foi então Eduardo Baptista, técnico atual da Ponte Preta.

Publicidade

Filho do ex-treinador Nelsinho Baptista, começou sua carreira como auxiliar no Sport. Depois defendeu o Fluminense e foi demitido. Na Ponte, chamou a atenção do Corinthians por conta dos bons resultados. Após ser consultado, resolveu dar um não para a diretoria alvinegra e seguir na equipe interiorana.

Baptista participou de reunião com dirigentes do #Palmeiras, segundo anunciou o Diário Lance. A proposta foi feita e agora o Verdão aguarda a resposta. O técnico tem contrato com o time de Campinas até o final de 2017 e o clube paulista terá que pagar a multa rescisória caso queira mesmo contar com ele para o próximo ano. #Mercado da bola #Futebol