Mais uma equipe do futebol brasileiro demonstrou interesse em Cícero. Depois do São Paulo na última quinta, nesta sexta é vez do Cruzeiro tornar público o seu desejo em trazer o meia e artilheiro do Fluminense no Campeonato Brasileiro encerrando há quase duas semanas. Mostrando não poupar esforços para atender a um pedido de seu treinador Mano Menezes, a Raposa Mineira, inclusive, cogita oferecer, em troca, o atacante William Bigode ao Tricolor das Laranjeiras.

Apesar do habitual silêncio por parte da duas diretorias, as negociações seguem e é bem provável que uma solução aconteça antes do Réveillon de 2017, pois tanto o Cruzeiro quanto o Fluminense têm reapresentações marcadas para o início do próximo mês de janeiro e o planejamento das agremiações é de ter ir para a pré-temporada com os seus respectivos elencos definidos.

Publicidade
Publicidade

Capixaba de Castelo há 32 anos, Cícero vive uma situação inusitada dentro do Fluminense. Mesmo com o bom futebol reconhecido, o meia, que também pode jogar como volante, é visto como uma excelente moeda de troca por membro da diretoria, especialmente pelo alto salário que recebe o clube. Revelado pelo Bahia, ele tem, em seu currículo, passagens por Tombense-MG, Figueirense, Santos, São Paulo, Hertha Berlim e Wolfsburg, ambos da Alemanha, além do Al-Gharafa, do Qatar. Está na sua terceira passagem pelas Laranjeiras, disputando, ao todo, 109 jogos, marcando 29 gols, sem contar o título da Copa do Brasil de 2007 e o vice da Taça Libertadores no ano seguinte.

Já William Bigode tem 30 anos, é natural de Três Fronteiras, interior de São Paulo e iniciou a sua carreira no Guarani, e Campinas, em 2004.

Publicidade

Passou duas temporadas no Bugre antes de se transferir para o Atlético-PR, onde ficou de 2006 a 2010. Nesse período, foi emprestado duas vezes, uma para o Toledo (2008) e outra ao Vila Nova-GO (2009). No ano de 2010, esteve no Figueirense, mas começou a a chamar atenção em 2011, quando, pelo Corinthians, alcançou o título daquele Campeonato Brasileiro. Entre 2012 e 2013, viveu uma aventura no Mentalist, da Ucrânia, até retornar ao Brasil para novamente ser campeão da Série A, dessa vez pelo Cruzeiro, equipe na qual permanece até hoje. #Mercado da bola #Fluminense e Cruzeiro #PaixãoPorFutebol