Destaque do #Fluminense em 2016, Gustavo Scarpa se tornou alvo de várias equipes, dentre elas o Palmeiras, que estaria disposto a pagar o triplo do salário que o meia recebe atualmente nas Laranjeiras. Esse assédio do time paulista, no entanto, ao que parece, não vem aterrorizando o Tricolor.

Em entrevista concedida ao Globoesporte na última quarta, 21, depois de se reunir com o técnico Abel Braga e o diretor da base Marcelo Teixeira na sede da agremiação carioca, o gerente-executivo Alexandre Torres praticamente descartou a possibilidade de qualquer clube do futebol brasileiro investir na contratação do apoiador.

"Esse grupo aqui quer trabalhar com o Scarpa.

Publicidade
Publicidade

Tanto a comissão técnica quanto a direção. As propostas estão aí no mercado para qualquer jogador. Agora, acredito que dentro do Brasil não vai ter uma proposta para tirar ele. Gosto dele, é importante ao clube e contamos com ele", disse o filho de Carlos Alberto Torres e ex-jogador do próprio Fluminense.

Ao assumir oficialmente a presidência na última segunda, Pedro Abad, dentre outros assuntos, disse que, na sua gestão, desejaria implantar, desde as categorias de base até os profissionais, uma filosofia de jogo no Fluminense. Questionado, Torres esclareceu como seria essa metodologia.

"Todo mundo busca o time que ataque e defenda bem. Vamos buscar jogadores que saibam fazer as duas funções. Isso não é um bicho de sete cabeças. Mas o que queremos é, além disso, a mentalidade vencedora e o comprometimento", resumiu o dirigente.

Publicidade

Durante a entrevista, Alexandre Torres não quis entrar em maiores detalhes sobre o trabalho da atual diretoria nos bastidores em busca de reforços. A única certeza dada pelo agora gerente-executivo é que o Fluminense anunciará, se possível, antes do final de 2016, quatro contratações para a próxima temporada, além dos equatorianos Orejuela e Sornoza, destaques do Independente Del Valle, vice da Libertadores, trazidos no meio desse ano.

As posições também foram omitidas, mas, dentro dos corredores das Laranjeiras, há a certeza de que as principais carências são as duas laterais, um volante e um típico centroavante. Dentro dessa linha, surgiram nomes como Wellington e Bruno, ambos do São Paulo, Paulão, do Internacional, Neris, do Santa Cruz e Zé Love, do Vitória-BA. #Mercado da bola #PaixãoPorFutebol