Morreu nesta quinta-feira (29), aos 80 anos de idade, o ex-jogador uruguaio Néstor Gonçalves. Ele estava internado há mais de uma semana, em um hospital de Montevidéu, e faleceu por conta de complicação hepática surgida em decorrência de um problema cardíaco. Tito, como era chamado, é até hoje o único jogador a participar de seis finais da Taça Libertadores da América.

Meia do #Peñarol nos anos 60, venceu três vezes a competição continental, além de ganhar dois títulos mundiais de clubes, contra Benfica e Real Madrid, na época em que a disputa contra o campeão europeu era feita em dois ou três jogos, de ida e volta. Ainda foi nove vezes campeão do campeonato uruguaio, sempre pelo clube aurinegro, onde ganhou o apelido de Capitão dos Capitães.

Publicidade
Publicidade

Uma das conquistas da #Libertadores foi em 1961, quando bateu o Palmeiras na decisão. No jogo de ida, disputado no dia 4 de junho, com gol anotado por Spencer no último minuto, bateu o Verdão por 1 a 0. Na volta segurou o empate em 1 a 1 para conquistar seu segundo título na competição. Antes, já havia sido vencedor no ano anterior ao derrotar o Olímpia do Paraguai e em 1966, quando bateu o River Plate da Argentina apenas na prorrogação do terceiro jogo. Uma curiosidade sobre essa edição foi que pela primeira vez também entraram os vice-campeões nacionais. E o mais interessante ainda: entendendo que isso descaracterizada a competição, o Brasil não mandou representante, assim como a Colômbia.

Em uma das vezes em que foi vice, a equipe da capital uruguaia cruzou com o #Santos de Pelé, Mengal, Dorval e Coutinho, em 1962, quando lutava pelo tri.

Publicidade

O time brasileiro teve muito trabalho para obter sua primeira conquista. O Peixe até venceu o primeiro duelo no Uruguai por 2 a 1 e perdeu a volta na Vila Belmiro por 3 a 2. O titulo só viria no jogo-extra, realizado no Monumental de Nuñez, na Argentina, com uma vitória por 3 a 0. O Peñarol ainda viria a perder as decisões de 1965, para o Independiente, e a de 1970 para o Estudiantes, ano que Gonçalves pendurou as chuteiras. Com a camisa do Peñarol, o ex-jogador fez 574 partidas e conquistou 15 títulos.