Alguns corpos das vítimas da tragédia Chapecoense, após serem velados na Arena Condá, foram transportados até suas cidades de origem. Foi o que aconteceu também com o corpo do lateral Guilherme Gimenez. O lateral foi velado nesse domingo, no estádio Santa Cruz, onde os familiares, amigos e fãs foram prestar suas últimas homenagens. Porém, além de se despedirem do lateral, os fãs tiveram que assistir às agressões entre mãe e viúva do jogador.

Segundo o site Globo Esporte, a confusão começou devido à proximidade entre o caixão e a viúva.

A viúva, Patrícia, pediu aos organizadores do velório 15 minutos sozinha com o corpo, em seguida, as demais pessoas deixaram a tenda.

Publicidade
Publicidade

Após 10 minutos de espera, Rosana Gimenez, mãe do jogador, abriu o portão e deixou que todos entrassem. “Podem entrar, gente”, gritou Rosana. Foi quando elas começaram a trocar agressões. No mesmo instante, foram separadas pelos parentes.

Após a desavença, as duas deixaram o local acompanhadas de familiares. Os que ainda ficaram na tenda homenagearam o jogador. Gimenez, Gimenez”, “é campeão!”, gritavam os fãs.

Antes do velório no estádio Santa Cruz, o corpo do jogador também foi velado no estádio Botafogo, clube que Gimenez jogou nos anos 2014 e 2015.

Amigos do jogador ficaram abalados com a perda

Em entrevista ao site G1, Marcel Almeida, que também é jogador, disse que Gimenez estava vivendo uma ótima fase da sua carreira. “Ele vivia um momento especial. Estava vivendo o momento, jogou muito como titular, acho que isso é o que fica dele”, afirma Marcel.

Publicidade

O volante Diego Silva também ficou ao mesmo tempo surpreso e triste com o falecimento do amigo. “Ninguém espera uma coisa dessas. Minha mãe hoje de manhã me chamou para ver a notícia na televisão e logo fui me informar se Gimenez estava no voo”, disse Diego.

Carreira

Guilherme Gimenez foi revelado pelo Olé Brasil, passou pelo time Comercial-SP e, no ano 2014, jogou no Botafogo. Durante sua carreira, ele atuou como volante e também como lateral-direito.

Além de se destacar na Copa Paulista de 2014 e na de 2015. Sua bela atuação fez com que fosse chamado para o time Goiás, que jogou até 2015. Depois disso, o jogador foi chamado para o #Chapecoense, clube no qual viveu seus últimos momentos como jogador.