#Eric Cantona. Craque francês e ídolo do #Manchester United, tanto pelo seu grande futebol quanto por suas polêmicas. A maior delas foi protagonizada pelo jogador exatamente no dia 25 de janeiro de 1995, quando ele simplesmente deu uma voadora (veja o vídeo abaixo) em um torcedor do Cristal Palace, em jogo da #premier league.

O duelo acontecia no estádio Selhurst Park, quando no começo do segundo tempo, com a partida ainda em 0 a 0 (o placar final foi 1 a 1), o jogador recebeu cartão vermelho após cometer falta em Richard Shaw. Ele deixava o gramado quando, ao passar em frente aos torcedores do Cristal Palace, um jovem chamado Matthew Simmons decidiu cutucar a onça com vara curta.

Publicidade
Publicidade

Ele desceu 11 fileiras das arquibancadas e insultou, não só o jogador como também sua mãe, chamando-a de vagabunda. A reação do explosivo atleta foi imediata e ele pulou a placa de publicidade e deu uma voadora no rapaz que o insultava. A atitude intempestiva custou caro ao ídolo dos Diabos Vermelhos. O caso foi tratado como um dos maiores escândalos da Inglaterra.

Cantona foi julgado pela Suprema Corte de Londres e condenado a duas semanas de cadeia, além de ter que prestar 120 horas de serviços comunitários. Na esfera esportiva, o jogador foi suspenso por oito meses e recebeu multa de 20 mil libras. A ausência de Cantona foi sentida pelo time, que acabou perdendo o título do Campeonato Inglês na última rodada para o Blackburn Rovers. O time ainda seria derrotado na decisão da Copa da Inglaterra para o Everton.

Publicidade

Em 2011, Cantona concedeu entrevista ao canal BBC admitindo que errou na ocasião, mas sem se desculpar. Ele afirmou ainda que para os jogadores “às vezes é um sonho poder bater em um torcedor assim”. Na época do incidente, ele criticou o comportamento do torcedor.

O ex-jogador se aposentou em 1997, após atuar em 187 partidas pelo time inglês e marcar 82 jogos. Pela seleção de seu país, fez 40 jogos, balançando as redes em 20 oportunidades. Após pendurar as chuteiras, iniciou a carreira como ator e também assumiu o comando da seleção francesa de futebol de areia.