Torcedores rivais, principalmente os do Cruzeiro, adoram provocar os atleticanos quando vem à tona que algum clube brasileiro está negociando com um astro do futebol internacional. Toda vez que isso acontece, como nos últimos dias, onde um dos assuntos mais comentados é o acerto do #Corinthians com o marfinense #Drogba, logo já é lembrado a frustrante negociação entre o francês #Anelka e o Atlético Mineiro.

Em entrevista por telefone ao Globoesporte.com, o jogador revelou os motivos que fizeram o negócio não ir adiante. Uma das razões apontadas pelo jogador foi a precipitação do presidente do 'galo' na época, Alexandre Kalil, em anunciar o reforço sem o negócio ainda estar fechado.

Publicidade
Publicidade

O fato não agradou ao francês, que ainda estava em processo de negociação com o clube e classificou o episódio como “uma vergonha”.

Outro acontecimento que irritou o francês e selou o fim das negociações foi com relação às passagens aéreas enviadas para que o jogador viajasse ao Brasil. O clube colocou ele e seu agente em voos separados e isso fez com que ele definitivamente decidisse não vir. O jogador de 37 anos lamenta os fatos, revelando que seria incrível ter jogado no Brasil.

Anelka, inclusive, já atuou em gramados brasileiros. Ele esteve no Mundial da FIFA em 2000, atuando pelo Real Madrid, e teve um pênalti defendido por Dida, no empate em 2 a 2 diante do Corinthians. Falando em Corinthians, ele também comentou a possível vinda de Drogba, o qual jogou junto no Chelsea, para o futebol brasileiro.

Publicidade

Ele afirmou que se fizerem uma boa oferta o marfinense virá ao Brasil, pois adora desafios.

Ele disse ainda que, se colocarem bons jogadores ao lado de Drogba, este fará muitos gols e que as pessoas o amariam dentro e fora de campo, pois se trata de uma pessoa boa.

Anelka estreou no futebol profissional em 1996, pelo Paris Saint Germain, da França, com apenas 16 anos, em uma partida contra o Mônaco. Depois ainda defendeu: Arsenal, Manchester City, Liverpool, Real Madrid e Juventus, só para citar as grandes equipes. O jogador pendurou as chuteiras em 2015, após defender o Mumbai City, da China.