Nesta segunda-feira (2), será dado o pontapé inicial para a 48ª edição da Copa São Paulo de Futebol Júnior. Um dos torneios mais democráticos do mundo, a Copinha abre espaço para conquista de grandes clubes, como também para zebras. Quem não se lembra do Roma Barueri em 2000? Outra característica da competição é contar com a participação de times de todas as partes do planeta. Até o #Bayern de Munique já jogou a competição. Os Bávaros participaram no longínquo ano de 1985.

Em uma edição que participaram “apenas” 32 equipes (número bem modesto perto dos 120 deste ano), os alemães caíram no grupo A, com sede em São Bernardo do Campo.

Publicidade
Publicidade

E logo na estreia, levaram uma sonora goleada do Santos por 4 a 0. Na segunda rodada, o time se recuperou vencendo o América do Rio de Janeiro por 3 a 2. No confronto direto que decidia uma vaga na segunda fase, os europeus perderam por 3 a 0 para o extinto Pinheiro, do Paraná, por 3 a 0. Naquele ano, o Juventus conquistou seu primeiro título ao derrotar o Guarani na decisão por 1 a 0, gol de João Paulo.

O primeiro clube estrangeiro a participar da #Copa São Paulo foi o Providência, do México, em 1980. Nos dois anos seguintes, o Vélez Sársfield, da Argentina, foi o representante de fora do Brasil. O México voltou a mandar uma equipe em 1988, quando o Universidad de Guadalajara participou da competição.

Depois de alguns anos, apenas com times nacionais, a Copa São Paulo teve em 1993 dois estrangeiros pela primeira vez: Boca Júnior, da Argentina, e Peñarol, do Uruguai.

Publicidade

Na edição seguinte, Cerro Porteño (Paraguai) e Nagoya Grampus (Japão), foram os times convidados. O Japão ainda esteve representado nos dois anos seguintes, com sua seleção sub 20 e com o Verdy Tókio. Em 1997 Cerro Porteño e a Seleção Sub 20 da China estiveram por aqui.

Depois de mais de 10 anos, a competição voltou a ter estrangeiros em 2010, com a presença do Al-Hilal, da Arábia Saudita. Em 2014, os japoneses do Kashiwa Reysol fizeram a melhor campanha de um gringo na história, chegando até a segunda fase. No ano passado, quem desembarcou no Brasil foi o Pérolas Negras. Apesar das três derrotas, o carismático time do Haiti conquistou a torcida brasileira, sendo novamente convidado para a edição deste ano.

Começou com 4

Quem olha a tabela atual, com absurdos 60 jogos por rodada na primeira fase, não imagina que a primeira edição, em 1969, contou com apenas 4 times e duas fases. O Corinthians foi o campeão ao vencer o Nacional. Palmeiras e Juventus foram os outros times que participaram.

Publicidade

A partir de 1971, a Copa São Paulo passou a convidar times de outros estados, cabendo ao Fluminense ser o vencedor em uma disputa que envolveu 16 clubes. Em 1987, a competição, que era de responsabilidade da Prefeitura de São Paulo, não foi disputada. A partir do ano seguinte, a Federação Paulista passou a organizar o torneio.

Zebras

O Corinthians é o maior vencedor com 9 conquistas, porém, isso não quer dizer que a Copa São Paulo não reserve espaços para zebras e conquistas de times menores. O Nacional de São Paulo foi campeão duas vezes. Paulista, América de São José do Rio Preto e Marília também beliscaram um título. Mas, sem dúvidas, a conquista mais surpreendente de todas foi a do Roma Barueri, em 2000. Diferente do que muitos pensam o nome não tem relação nenhuma ao homônimo italiano e sim era a marca da construtora dona da equipe, que depois migrou para o Paraná, chegando até a jogar a primeira divisão. Também não se trata do Grêmio Barueri, que alguns anos atrás estava na Série A do Campeonato Brasileiro. #Copinha