Apesar de apenas 18.695 torcedores terem comparecido na última quarta-feira no Engenhão, no Rio de Janeiro, para acompanhar a vitória do Brasil por 1 a 0 sobre a Colômbia no #Jogo da Amizade, a #Chapecoense deverá faturar alto por causa do amistoso. Se a renda bruta não rendeu muito, pouco mais de R$ 1,2 milhão, os valores, vindos de outras receitas relacionadas ao amistoso, devem ultrapassar R$ 5 milhões. Toda a renda deverá ser direcionada aos familiares das vítimas da queda do avião da Lamia, em Medellín, na Colômbia, que matou 71 pessoas no dia 29 de novembro.

Em primeiro lugar, a CBF deverá acrescer a esse valor o total arrecadado com o ingresso solidário, em que qualquer pessoa poderia contribuir adquirindo pela internet um ingresso para a partida, mas sem o lugar marcado no estádio.

Publicidade
Publicidade

A campanha continuará por mais alguns dias. Quem quiser ajudar, basta acessar o site da CBF. Os valores das entradas vão de R$ 50 a R$ 500.

Mas a grande parte da receita total deste amistoso deverá vir da publicidade, isso é, dos anunciantes das emissoras de televisão que transmitiram o jogo. Durante a cobertura, o narrador Galvão Bueno declarou que os anunciantes da TV Globo repassarão cerca de R$ 3,8 milhões para a Chapecoense.

O próprio SporTV, canal do grupo Globosat, informava durante #Brasil x Colômbia que toda a receita com publicidade para a quela partida seria revertida às vítimas do desastre aéreo na Colômbia, incluindo jogadores, membros da comissão técnica e dirigentes da Chapecoense, jornalistas e tripulantes da aeronave.

Com números menores, a ESPN tomará a mesma atitude. Emissoras do exterior também se comprometeram a transferir parte do montante arrecado para o clube catarinense.

Publicidade

Vale lembrar que a CBF liberou as imagens do amistoso no Rio de Janeiro, sem custos, para as emissoras que tiveram interesse em transmiti-lo. Ao término do Jogo da Amizade, o sentimento geral era de que, apesar do pouco público, a partida serviu para reunir uma boa quantia para ajudar as famílias.