O evento FIFA The best foi realizado nesta segunda-feira (9), em Zurique, capital da Suíça. O principal prêmio da noite não foi considerado uma surpresa, já que Cristiano Ronaldo era o grande favorito a ganhar o prêmio de melhor jogador do ano. E o fato acabou se confirmando.

Essa foi a quarta vez que o português foi eleito melhor jogador do mundo. O craque já havia vencido o premio em 2008, 2013 e 2014.

Na disputa, Ronaldo bateu o seu principal rival, Lionel Messi (Barcelona), e Antoine Griezmann (Atlético de Madrid). A eleição contabilizou votos de jornalistas, capitães e treinadores das seleções.

Os principais fatores que levaram #Cristiano Ronaldo a ganhar o prêmio foram os títulos conquistados em 2016.

Publicidade
Publicidade

Cristiano foi campeão e artilheiro da #Champions League, pelo Real Madrid, e conquistou a Eurocopa como protagonista da seleção de Portugal.

No entanto, pelos números, o cenário se mostrava favorável ao argentino #Lionel Messi. No ano de 2016, o craque do Barcelona marcou 59 gols, enquanto o português marcou 55. Nas assistências, Messi também foi melhor. Enquanto Ronaldo deu "apenas" 17 assistências, Messi deu 32 passes para gols de seus companheiros. Isso reforça a importância dos títulos na premiação.

Os dois principais craques da atualidade, Cristiano Ronaldo e Lionel Messi, se alternam no prêmio de melhor jogador do mundo desde 2008. Sendo que o brasileiro Kaká foi o último jogador a vencer a disputa antes do domínio dos dois craques.

Essa edição da premiação ficou marcada pela nova separação da FIFA e da France football na entrega de prêmios.

Publicidade

Agora a bola de ouro é entregue separadamente pela revista francesa. Ela também teve Cristiano Ronaldo como vencedor. A bola de ouro foi entregue em dezembro do ano passado.

Com a sua quarta eleição como melhor do mundo da FIFA, o português ultrapassou o brasileiro Ronaldo "fenômeno" (vencedor em 1996, 1997 e 2002) e o francês Zinedine Zidane ( vencedor em 1998, 2000 e 2003) em número de premiações da FIFA. O maior vencedor do prêmio ainda é o argentino Lionel Messi, que venceu em 2009, 2010, 2011, 2012 e 2015.